Estudos Bíblicos


As 6 grandes virtudes de uma mulher virtuosa
(Novo)
 

“Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de rubis” Pv. 31.10
Paz e graça, visitantes do blog Marcos Gama MV. Para nós é uma grande alegria tê-lo aqui conosco. Hoje estaremos comentando uma das lições da revista de escola bíblica dominical da CPAD – 4º Semestre de 2013, que trás como base de estudos os livros de Provérbios e Eclesiastes e tem como comentarista o pastor Josué Gonçalves.
É uma temática importantíssima o mostrar a valorização da mulher em meio uma sociedade preconceituosa e muitas vezes desinformada a cerca da mulher, assim estaremos abordando as virtudes da mulher virtuosa dentro de uma abordagem bíblica cristã.
A Primeira virtude da mulher virtuosa é a fidelidade – Pv. 31.11
Ser fiel aos seus votos hoje em dia é sinônimo de pensamento atrasado, as novelas da Rede Globo fazem muito bem seu papel de desvalorização do casamento e da propaganda de prostituição e adultério. Porém há ainda aquelas mulheres que não são guiadas por estes “modelos” satânicos e são fiéis aos seus votos, princípios, maridos, família, filhos, a ela mesma e principalmente a Deus.
Faltar-me-ia espaço aqui para comentar cada um dos tópicos sobre sua fidelidade, mas uma coisa é certa, um homem que tem a seu lado uma mulher fiel nestes sentidos tem um grande tesouro.
Segunda virtude de uma mulher virtuosa é a respeitabilidade – Pv. 31.25,28
Uma mulher que se dá ao respeito, que todos a consideram e não usam de brincadeiras, uma mulher que tem uma posição moral e decidida marca sua família e aqueles que vivem ao seu redor. Respeito para com seu Deus, sua filhos e familiares são uma marca na vida de uma mulher virtuosa, e lógico ela jamais deixará de ser fiel a si mesma.
O respeito não é imposto, mas conquistado diariamente com atitudes que marcam a vida de uma mulher de virtudes. Sua vida, linguajar e vestir são modelo de bom senso e beleza feminina.
Terceira virtude da mulher virtuosa é a sua trabalhabilidade – Pv. 31 27
Uma guerreira!
Em um mundo tão concorrido e cheio de preconceitos, a mulher virtuosa luta pelo seu lugar ao sol, porém não se esquece de valores que dão base para sua vida sua fé em Deus, família. Hoje em dia elas têm jornada tripla, deixando de lado sua fé e família, porém a mulher virtuosa tem princípios inegáveis e inegociáveis e logo não mede esforços para garantir que o mais importante da vida seja resguardado. Ela sabe gerenciar tudo com mais maestria e força.
Sua casa e vida são organizadas.
A quarta virtude de uma mulher virtuosa e seu empreendedorismo – Pv. 31.16
Uma mulher proativa que não precisa que os outros peçam para que ela faça algo, ela sempre tem atitudes e decisões. Ela também tem sonhos e sabe que eles só se realizaram se tomarmos atitudes, deixarmos o acomodismo. Uma mulher virtuosa que visão de futuro sem esquecer seus princípios.
É uma serva de Deus, uma obreira dedicada em relação a vida cristã e a sua responsabilidade de mãe e mulher.
Conta-se na internet que em certa ocasião o presidente dos Estados Unidos da América Barac Obama e sua esposa Michele Obama saíram para jantar fora e ao entrarem em um certo restaurante, Obama viu um garçom e conheceu que aquele homem fora um dia namorado de sua esposa, então ele falou:
- Você está vendo o fulano?
- Sim, respondeu Michele.
- Se você tivesse casado com ele hoje você seria a mulher de um garçom, comentou Obama.
Então a primeira dama dos U.S.A disse ao seu marido:
- Não querido, se eu tivesse casado com ele, ele seria o presidente dos Estados Unidos.
Veja! Uma mulher de fibra e visão.
A penúltima virtude de uma mulher virtuosa é que ela recebe testemunhos – Pv. 31.23
Uma mulher que os outros têm por modelo de conduta, em que todos falam bem. Sua vida ilibada é referência em sua casa, família e igreja, os amigos de seu marido sabem que ela é um referencial de vida.
E a última e principal virtude da mulher virtuosa é que ela teme ao Senhor – Pv. 31.30
Essa é a principal virtude, isto é, a origem das demais outras. Em um meio de tanta devassidão moral e espiritual, as mulheres que teme ao Senhor guardam seus preceitos e conservam-se para seu Deus e família nunca negociando sua fé e princípios.
O temor a Deus é a razão de suas virtudes, pois de Deus é que vem todas as virtudes.
Essas virtudes estão muito raras hoje em dia, mas é por isso que o autor do texto que iniciamos este poste disse que o valor de uma mulher destas excede ao de rubis. Uma mulher destas quem a achará? E a resposta é simples, Deus sabe onde elas estão, você que ainda não casou, ore e Deus lhe dará um presentes deste para a sua vida.
E caso você está lendo este poste e dizendo e eu que não tive chances de poder viver uma vida assim, não tenho como ser uma mulher virtuosa? É claro que tem, apenas se entregue ao Senhor e o tema e essas virtudes estarão impregnadas na sua vida pelo Espírito Santo.
  
 -------------------------------------------------

1 -  Estudo: Como está o teu sacrifício 
 
“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de DEUS, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a DEUS, que é o vosso culto racional.”
Romanos 12.1

Introdução:

A Bíblia sagrada é o livro dos sacrifícios, Nela Contém o maior sacrifício registrado na história humana. Do AT ao NT vemos a influência do sacrifício e do que sacrifica. Muitos dizem que DEUS não solicita sacrifícios de seu povo (igreja), nos dias de hoje. Outros dizem que é melhor obedecer do que sacrificar, porém a Bíblia declara que DEUS não si agrada do “sacrifício de tolo” (Ec 5.1) e em romanos Paulo aconselha-nos a apresentar-mos a nós mesmos como sacrifício. Então temos uma contradição? Não. Talvez uma má interpretação do texto sagrado. Vejamos então através da Bíblia o que é declarado a cerca do sacrifício.

Qual o sacrifício que DEUS se agrada?

I – O que se entende por sacrifício

- Segundo o dicionário
Sacrifício: Ato de sacrificar ou sacrificar-se. Oferenda solene à divindade, em vitimas ou donativos. Imolação em holocausto. Privação de coisa apreciada.
Sacrificar: Oferecer em sacrifício; imolar. Sofrer a perda de alguma coisa em favor de algum ideal ou causa (ou Alguém). Fazer sacrifícios. Consagrar-se totalmente com prejuízo de outros interesses. Imolar-se.

- Segundo a Bíblia
Sacrifício: Algo que é destruído ou cedido, geralmente como parte de um ato de adoração.
Sacrificar: Destruir ou ceder algo, geralmente como um ato de adoração.

Vemos que apalavra sacrifício fala de adoração, culto, oferta, fala de entrega, de consagração, fala de amor. Amor da parte do ofertante, da parte do sacrifício perfeição.

II – Tipos de sacrifícios na segundo a Bíblia

            Para iniciarmos este estudo sobre sacrifício precisamos recorrer ao terceiro livro da Bíblia, um dos cinco do Pentateuco, ou seja, o Livro de Levíticos. Este nos mostra como os sacrifícios eram feitos. Tem-se o autor deste livro como sendo Moises, escrito há cerca de 1445-1405 aC, a palavra chave do Livro é SANTIDADE, aparecendo no livro 87 vezes, seu versículo chave é Lv 19.2 “Fala a toda a congregação de Israel, dize-lhes: santos sereis, porque Eu, O SENHOR vosso DEUS sou santo”. O titulo do Livro deriva de um dos filhos de Jacó, Levi, Tribo esta que foi escolhida para sacerdotes diante de DEUS (ver Nm 1.47-54; Dt 10.8-9).
            Podemos dividir o livro de Levíticos em duas partes principais. A primeira engloba os capítulos 1 a 10, e deles tiramos a seguinte lição: O único caminho para


DEUS é mediante o sacrifício. A segunda compreende os capítulos 11 a 27, e por eles aprendemos que: O caminhar com DEUS só é possível mediante a santificação.

-          Os sacrifícios falam do relacionamento do povo com DEUS.

Os Sacrifícios Levitícos


1º - Holocausto (Lv 1;6.8-13; 8.18-21; 16.24)
Elementos: Bodes, carneiros, boi, pombinhos (para os pobres) totalmente queimados, sem defeitos.
Propósito: ato voluntário de adoração; expiação pelos pecados involuntários em geral; expressão de devoção; compromisso e completa entrega a DEUS.
Tipologia: Cristo, nosso sacrifício perfeito, que se entrega voluntariamente (Mt 27,35-36; Ef 5.2; Hb 7.26; Hb 9.14; I Jô 2.6)

2º - Oblação (Lv 2;6,14-23)
 Elementos: Grão, flor de farinha, azeite de oliveira, incenso, bolo assado, sal; sem fermento nem mel; acompanhava a oferta queimada (Holocausto) e a oferta de comunhão.
Propósito: Ato voluntário de adoração; reconhecimento da bondade e das provisões de DEUS ; devoção a DEUS.
Tipologia: Destaca-se aqui a perfeita humanidade de CRISTO; ressalta –se a entrega de sua vida (I Jô 2.6)

3º - Oferta de paz (Lv 3; 7.11-34)
Elementos: Qualquer animal sem defeito tomado do rebanho; variedades de bolos.
Propósito: ato voluntário de adoração; ação de graças e comunhão (incluía uma comida de toda a comunidade).
Tipologia: Cristo, mediante a cruz, restaurou a comunhão do crente com DEUS. Ele é nossa paz; fez cessar as guerras (Sl 46.9 a)

4º - Oferta pelo pecado (Lv 4,1-5,13; 6,4-30; 8, 14-17; 16, 3-22)
Elementos: 1)Para o sumo sacerdote e a congregação; um bezerro. 2) Para qualquer pessoa do povo uma cabra ou um cordeiro. 4) Para os pobres duas rolas ou dois pombinhos. 5)Para os muito pobres; a décima parte de um efa de flor de farinha. 
Propósito: Para expiação de pecado específico e involuntário; confissão de pecado; perdão de pecado; limpeza da imundície.
Tipologia: Cristo padeceu “fora da porta” (Hb. 13.10-13)

5º - Sacrifício de Restituição (Lv 5.14-6.7; 7.1-6)
Elementos: carneiro (Somente).
Propósito: Para expiação de pecados involuntários que requeriam restituição; limpeza da imundície; fazer restituição; acrescentar 20%.
Tipologia: Cristo, mediante seu sacrifício, pagou a culpa dos pecados atuais dos crentes (Rm 3.24-26; Gl 3.13; Hb 9.22)

       O Livro de Levitíco constitui-se num verdadeiro tesouro de tipos e símbolos que indicam a pessoa imaculada de Jesus Cristo e a obra que Ele efetuaria na cruz, no futuro. Isto pode ser visto principalmente nos sacrifícios e ofertas.

III – O crente como sacrifício (Rm 12.1)

            Nós vemos no Livro em estudo que nossa comunhão com DEUS é através de sacrifício, e que devemos andar em santidade. O cristão é um sacrifício vivo, e um sacrifício voluntário, quando estudamos sobre sacrifício, temos que tomar alguns exemplos do A.T, como referência antes de estudarmos Romanos 12. Vejamos no Livro de Gênesis no Cap. 22, quando DEUS solicita que Abraão o oferte seu único filho (Gb 22.2), no estudo em destaque, vamos nos deter na atitude de Isaque, que como oferta (sacrifício). Diz a Bíblia que saíram de madrugada, Abraão fez os preparativos para o sacrifício, tomou um jumento, dois servos e Isaque, andaram 03 dias até o monte Moriá. Chegando ao pé do monte, deixou seus servos ali e subiu com o Jovem, no decorrer da subida, Isaque indaga o pai sobre a ausência do cordeiro para o sacrifício. Abraão com fé declara que DEUS providenciaria um cordeiro para si. Agora é interessante observarmos que Isaque ajudou a preparar o altar para o sacrifício, isso mostra para nós que devemos voluntariamente colocar nossa vida para o sacrifício a DEUS. “Rogo-vos pois, irmãos, pela compaixão de DEUS , que apresenteis o vosso corpo em sacrifício... a DEUS (Rm 12.1 a). O sacrifício se apresentou para ser sacrificado. Essa tem que ser nossa disposição.

Ø  Como deve ser o sacrifício

-          Vivo: Pois não estamos mais mortos em pecados (Jô. 5.24);
Nós passamos da morte para vida (I Jô. 3.4); E a vida que vivemos, vivemo-la na fé do Filho de DEUS. Um sacrifício voluntário (Mt 10.38,39).
-                     Santo: No A.T a oferta (cordeiro) deveria ser sem manchas ou defeito, isso reflete a pureza, ou seja, a ausência de pecado. Cristo é nosso exemplo de sacrifício voluntário e perfeito, pois nunca pecou. Essa deve ser a condição de cada crente. Não ter manchas nem defeito (pecado), como está escrito em Lv 19.2; Mt 5.48.
 - Agradável: Nesse caso se devemos ser sacrifícios agradáveis é porque existe sacrifícios desagradáveis, veja estas passagens e depois prossiga a leitura: Is 1.1-31; Ml1.1-14. Veja que DEUS não aceitou, ou melhor, rejeitou o sacrifício, pois estava sendo feito de qualquer jeito. Nossas vidas não podem ser vividas como nós achamos que deve ser melhor, mas para que ela seja um sacrifício agradável, ela deve estar de acordo com a vontade de DEUS.
-          Sacrifício vivo, santo e agradável a DEUS, que é o vosso culto racional... : Fala de um culto inteligente e voluntário, onde o crente e sua vida de obediência é sua oferta a DEUS. Sabemos que perfeito somente DEUS, mas quando nós nos dispomos a fazer um sacrifício pessoal para DEUS Ele vê e recebe. DEUS quer ver sua disposição em fazer a vontade DELE.
Leia: Mt 5.13-16; Ef 5.25-27

IV – O crente como ofertante (Ec 5.1)

           No decorrer deste estudo vimos como a oferta é importante para DEUS, vimos que O Senhor Jesus é nosso sacrifício perfeito, observamos que nossa vida é um continuo sacrifício, porém temos que ver também que somos ofertantes, ou seja, nós somos oferta e ofertamos. No A.T. o povo trazia suas ofertas aos sacerdotes e estes de acordo com a liturgia apresentavam-os a DEUS. Sabe DEUS observa a maneira que ofertamos, vejamos alguns exemplos de ofertantes:

1.      Caim e Abel (Gn 4.1-7)
Vemos nessa passagem que os irmãos Caim e Abel, foram ofertar Ao Senhor, porém DEUS recebeu a oferta de Abel e não a oferta de Caim. Ora Abel era pastor de ovelhas e Caim era agricultor, ambos foram oferecer a DEUS um sacrifício, porque então DEUS rejeitou a um e se agradou do outro? Por ventura DEUS faz acepção? Não. E vemos nas atitudes dos dois o porque, diz a Bíblia que Caim trouxe “uma oferta” (Gn 4.3) e Abel “trouxe dos primogênitos” (Gn 4.4). Veja a diferença, Abel trouxe o melhor, a oferta que ele tinha tratado com cuidado, trouxe as primícias, enquanto Caim, “trouxe uma oferta” dá sentido de qualquer coisa, é claro que a Bíblia não diz que Caim trouxe coisas ruins, porém pela expressão “uma oferta” vemos que ele não pegou o melhor. Observe, aqui aprendemos que DEUS não se agrada, não recebe algo feito de qualquer maneira, por isso que é ‘um sacrifício de tolo”, pois perde o que ofertou e ainda não agrada a DEUS. Hoje muitos não ligam para o que ofertam, quando vão cantar louvam de qualquer jeito, não tem o cuidado e preparar-se com um louvor a DEUS, dando seu melhor, não precisa cantar bem, mas tem que ser seu melhor, outros quando vão pregar não oram, não meditam, não lêem a Bíblia e ainda dizem que DEUS não se agrada de quem se prepara, falando que são frios e secos ou legalistas. Quando vão ofertar financeiramente, dão o que lhes sobra, mostrando assim falta de amor com a obra de DEUS.
Leiam o Livro de Malaquias Antigo Testamento.

2.      A Viúva Pobre (Mc 12.41-44)
Aqui vemos que Jesus estava observando a maneira como o povo estava ofertando. Veja que Jesus não olhou para as moedas Ele olhou para a maneira como ela ofertou, observe a diferença entre a viúva e os demais ofertantes (Mc 12.43-44), às vezes dizemos que por não termos dinheiro não podemos ofertar, mas vemos com o exemplo da viúva que todos, por mais pobres forem devem ofertar a DEUS, pois é Ele que nos sustenta.
     A viúva ofertou mais pois ela fez um sacrifício, ela demonstrou:
Ø  Fé – Depositou tudo que tinha, confiando unicamente em DEUS.
Ø  Renuncia – Ela poderia ter ficado com as moedas, porém ela resolveu adorar a DEUS.
Ø  Amor – Sem poder fez um sacrifício.
Obs: Veja que no A.T. até os muitos pobres sacrificavam.

Os outros ofertantes: depositaram o que lhes sobravam (o resto), demonstraram:

Ø  Incredulidade – Não acreditavam que DEUS suprisse a sua necessidade.
Ø  Avareza – Deram o restante, a sobra do que tinham, não sacrificaram.
Ø  Desamor – Sua atitude mostrava falta de amor em sacrificar.

Conclusão

             No Livro de Romanos antes da passagem do texto base de 12.1, vem 11.36 que diz: “Porque Dele, e por Ele, e para Ele são todas as coisas; glória, pois a Ele etermanete. Amém!
Como tem sido a sua vida de sacrifício e a de ofertante? O que você tem colocado como primícias no teu coração? Muitas se agarram às riquezas, porém DEUS os chamas de loucos (Lc 12.16-20). Muitos não querem mais sofrer por amor a Cristo. Muitos não são mais oferta. Muitos não sacrificam mais. Porém ainda há tempo para mudança de conduta leia em Ap 3.14-22. Muitos hoje estão com o coração entupido de tantas coisas que aporta dele está fechada para Cristo, mas hoje Ele bate a porta, abra-a e deixe Jesus fazer uma limpeza. Vimos que o Sacrifício fala de relacionamento, e é isso que Cristo quer: “Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele comigo Ap 3.20.

  • Jesus está batendo na porta do teu coração?
  • Você está ouvindo a sua voz?
  • Abra aporta hoje. Como? Crendo.
  • Veja a promessa: “entrarei em sua casa”, ou seja, na sua vida.
  • Uma vida de relacionamento “cearei com ele, e lê comigo.

O crente é uma oferta/ofertante, você é? Continue assim.

Deus te abençoe.
 
 ----------------------------------------------

Estudo 02 - A Relação entre Igreja e Missões
Introdução

“Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” Mt 28.19-20
Deus sempre teve desde a eternidade, um plano de resgate para o homem, este plano que envolveu seu próprio filho como peça chave para sua realização, desde então, há um objetivo a ser alcançado, Deus já traçou as metas, já identificou os alvos, já revelou o inimigo, concedeu armas para capacitar aqueles que irão realizar seu objetivo, ou seja, há uma missão a ser realizada. Porém toda missão precisa de alguém para executá-la, Deus em sua infinita graça separou, escolheu e comissionou a organização mais importante da terra para este trabalho, nem mesmo os anjos conseguiram esta autorização. Neste trabalho falaremos com detalhes sobre o desenrolar desta missão e dos que foram comissionados. Falaremos da Igreja e Missões!
Nosso objetivo não é apresentar vários textos bíblicos em que Jesus comissiona a Igreja, mas notificar da importância da atividade e a responsabilidade que pesa nos ombros dos servos de Cristo.

IGREJA

No contexto bíblico, o termo igreja pode designar reunião de pessoas, sem estar necessariamente associado a uma edificação ou a uma doutrina específica.
Etimologicamente a palavra grega ekklesia é composta de dois radicais gregos: ek que significa para fora e klesia que significa chamados.
No texto bíblico, no "Novo Testamento", a palavra Igreja aparece por diversas vezes, sendo utilizada como referência a um agrupamento de cristãos e não a edificações ou templos, nem mesmo a toda comunidade cristã em alguns momentos.
Este agrupamento de cristãos é chamado de Igreja, é importante frisar que segundo o entendimento do termo igreja ela pode se referir há denominações eclesiásticas, deste modo, podemos dizer que existe a Igreja Universal ou Corpo místico de Cristo e as congregações locais ou denominações como a Igreja de Éfeso, Esmirna, Assembléia de Deus, Batista etc. A Igreja quanto corpo místico de Cristo, são aqueles chamados para fora do mundo e que hoje compõem os membros deste corpo, são preparados do mundo, transformados pelo Espírito Santo e hoje são servos de Cristo.
Na doutrina cristã da mordomia, aplica-se a vida do crente o conceito da soberania divina onde Deus é Senhor e único soberano de tudo que existe ou possa existir. Assim sendo, tudo o que está em nossas mãos já tem um dono, tudo que possamos adquirir já tem um dono. O crente quanto servo de Cristo serve com suas posses, seus dons e seu tempo, e este serviço precisa ser direcionado por seu Senhor. A igreja não traça suas metas, pois estas já estão traçadas.
Desde o A.T Deus tinha o propósito de ser conhecido por todas as nações, e Israel seria a Lâmpada que atrairia as nações através de uma vida diferenciada dos costumes da antiguidade, porém Israel dobra-se ante os costumes pagãos, mas sabemos que Deus está no controle de tudo, Deus em sua sabedoria já havia pensado na Igreja. Hoje é responsabilidade da igreja, atrair os povos Cristo, o próprio mestre disse em Mt 8.14 Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte;” e ensinar o caminho em que deve andar, ou melhor, ensinar. Porém antes de tratar daqueles que se chegam a Cristo, precisa atraí-los a Cristo.

MISSÕES

“Ide” é o maior imperativo, a maior ordenança que a igreja de Cristo possui. Fazer discípulos, ir a todas as nações começando em Jerusalém é o maior objetivo de Deus independentemente das barreiras culturais, políticas econômicas ou espirituais. O objetivo da igreja é o mesmo de Cristo não pode haver duas metas a serem alcançadas. O objetivo de Deus é que todas as “criaturas saibam sobre o evangelho”, ou seja, a onde estiver uma pessoa que nunca ouviu é ali um campo missionário.
Não há a palavra missões na bíblia, mas vemos que Deus ordena que a sua igreja vá aos perdidos, a palavra apostolo significa “enviado” ou “aquele que foi enviado”, os dons que foram concedidos a igreja, o batismo com o Espírito Santo tudo isso é para que o evangelho seja anunciado em todas as nações. Deus é quem define o que precisa ser feito, deus é quem levanta os missionários, deus é quem os envia, como vemos em AT 13 1-2 “E NA igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas e doutores, a saber: Barnabé e Simeão chamado Níger, e Lúcio, cireneu, e Manaém, que fora criado com Herodes o tetrarca, e Saulo. E, servindo eles ao Senhor, e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado.
A igreja vive por missões, a igreja trabalha por missões, a igreja existe para fazer missões, Deus já deixou tudo o que é necessário para o serviço. A igreja tem como metas o sustento financeiro, espiritual e moral para com aqueles que estão dispostos a ir ao campo. Todas as ações da Igreja devem ter um único fim, missões. É ela que prepara os enviados, capacita-os, dentro da direção de Deus os envia dando todo o suporte necessário.

CONCLUSÃO

A igreja nasceu da missão de Cristo, Ele a instituiu, capacitou, sustenta, guia, enviou o Espírito Santo e agora Ele nos envia como Ele foi enviado como está escrito em João 20,21 Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.” Deus espera pelo resultado. Certamente em nossas congregações há cultos missionários, há campanhas de oração, trabalho de capacitação, mas a palavra ainda é IDE.

-----------------------------------------------------------------------------------

Estudo 03


Estudo sobre o Arrebatamento.

Texto base: Mt 24.3

Considerações Preliminares:
A teologia inclui muitas áreas de estudo:

  1. Teologia exegética: (exegética origina-se da palavra grega que significa “ sacar” ou “extrair” a verdade) procura descobrir o verdadeiro significado das Escrituras. O conhecimento das línguas originais das Escrituras pertence a esse departamento da teologia.
  2. A teologia histórica: Traça a história do desenvolvimento da interpretação doutrinária, que envolve o estudo da história da igreja.
  3. Teologia dogmática é o estudo das verdades fundamentais da fé de acordo com os credos da Igreja.
  4. Teologia Bíblica: Traça o progresso da verdade através dos diversos livros da Bíblia e descreve a maneira de cada escritor apresentar as doutrinas importantes.
  5. Teologia Prática: Trata da aplicação da teologia na regeneração, santificação, edificação, educação e serviço dos homens. Ela busca aplicar à vida prática aquilo que os outros três departamentos da teologia contribuíram. Teologia Prática abrange os cursos de Homiletica, Organização e Administração da Igreja, Liturgia ou o Programa do Culto, Educação Cristã e Missões.
  6. Teologia sistemática: Nessa área de estudo, os ensinos bíblicos que dizem respeito a Deus e ao Homem são agrupados em tópicos, de acordo com um sistema definido, a teologia sistemática divide-se em:
    1. A doutrina das Escrituras (Bibliologia);
    2. A doutrina de Deus (Teologia);
    3. A doutrina dos Anjos (Angelologia);
    4. A doutrina do Homem (Antropologia);
    5. A doutrina do Pecado (Harmartiologia);
    6. A doutrina de Cristo (Cristologia);
    7. A doutrina da Salvação (Soteriologia);
    8. A doutrina do Espírito Santo (Pneumatologia);
    9. A doutrina da Igreja (Eclesiologia);
    10. A doutrina das Últimas Coisas (Escatologia);
                                         i.    A segunda vinda de Cristo;
                                        ii.    O estado intermediário;
                                       iii.    A ressurreição;
                                       iv.    A vida futura;
                                        v.    O destino dos justos;
                                       vi.    O destino dos ímpios;
                                     vii.    A morte;
 
A segunda vinda de Cristo é mencionada 318 vezes no NT. Paulo refere-se ao evento 50 vezes. Alguém já disse que a segunda vinda é mencionada mais que a primeira.

  1. Citações e Símbolos no A.T
1)   Arrebatamento de Enoque Gn 5.24
2)   A Arca de Noé (Mt 24. 37-39 ; Lc 17.26-27)
3)   O casamento de Rebeca e Isac. Gn 24.52-67

  1. Os sinais
“Diz-nos quando sucederão estas coisas e que sinal haverá da tua vinda e da consumação do século.” Mt 24.3

Obs: Uma análise de Mateus 24.8 à luz do grego diz:

“porém tudo isto é o principio das dores”
No grego “principio das dores de parto”

1)   A formação do Estado de Israel 1948 (Ezequiel 37);
2)   Aumento das viagens de progresso da ciência (Daniel 12.4);
3)   A grande apostasia (I Timóteo 4.1- 4);
4)   A proliferação de falsas religiões;
5)   O aparecimento de falsos messias;
6)   O renascimento e o avanço generalizado do ocultismo;
7)   Sinais naturais e físicos como:
                                         i.    Guerras;
1.    No século passado
a.    Primeira Guerra Mundial de 1914 a 1918.
b.    Segunda Guerra mundial de 1939 a 1945
2.    No século atual
a.    Guerra no Afeganistão 2001;
b.    Guerra do Iraque;
c.    Guerra na Somália 2006;
d.    Guerra noroeste do Paquistão;
e.    Guerra do tráfico;
f.     Guerra contra o terrorismo;
                                        ii.    Rumores de guerras;
1.    Arábia Saudita 1996;
2.    Tanzânia e Quênia 1998;
3.    USS Cole 2000;
4.    World Trade Center 2001;
5.    Tunísia 2002;
6.    Indonésia 2002;
7.    Quênia 2002;
8.    Marrocos 2003;
9.    Espanha 2004;
10. Egito 2004;
11. Inglaterra 2005;
12. Egito 2006;
13. Argélia 2007;

                                       iii.    Fomes e Pestes;
1.    Depois da Primeira grande guerra uma grande fome assolou ;
2.    Milhares morrem de fome na África;
3.    No Brasil há ainda muito que passam fome;
4.    A primeira guerra mundial foi marcada pela grande epidemia “INFLUÊNZA” (Gripe espanhola) dizimando a população européia em 1918;
5.    Em meados dos anos 70 surge a AIDS;
6.    Ebola no Zaire e na África;
7.    Em 2002 e 2003 aparece a SARS, ou pneumonia atípica asiática, que dizimou vários chineses em Hong Kong;
8.    2004 a gripe do frango;
9.    Gripe suína;
10. H1N1;
11. Câncer;
                                       iv.    Terremotos;
O número de terremotos tem aumentado assustadoramente durante os últimos 20 anos. Somente no ano de 2003, aconteceram mais de 100 terremotos com 5,0 graus ou mais na escala Richiter, de acordo com o United States Geological Survery, Dos EUA. Em Ap 6.11,16 estão previstos os piores terremotos da história, são terremotos de nível mundial.
1.    2003 – Terremotos matam na China, Costa Rica e Nova Zelândia.
2.    2004 – 27 terremotos de escala Richiter. entre 5 e 6,5
3.    Tsunami;
4.    2010
a.    Terremoto 6,3 nas Ilhas Salomão 09/01/20010;
b.    Terremoto de 7 graus no Haiti - 12/01/2010;
c.    Terremoto de 5,6 atinge a Venezuela – 15/01/2010;
d.    Terremoto de magnitude 8,8 atinge o Chile, com Tsunami – 27/02/2010;
e.    Terremoto de magnitude 6 na Turquia.



  1. O que é arrebatamento?
Em contramos várias palavras no grego do N.T relativas ao arrebatamento que podem aclarar nosso entendimento acerca do Arrebatamento. Destacamos duas palavras principais:
1)   Parousia: Literalmente quer dizer “presença”, “chegada rápida”, “visita”. É a palavra mais freqüentemente usada nas Escrituras para descrever o retorno de Cristo, pois ocorre 24 vezes. Seu sentido é abrangente e não define apenas a volta de Cristo até as nuvens, mas outras vezes se refere à sua volta pessoal à terra. ( I Co 15.23; I Ts 2.19; I Ts 4.15; 5.23; II Ts 2.1; Tg 5.7,8; II Pd 3.4)
2)   Epiphanéia: Literalmente significa “manifestação”, “vir à luz”, “resplandecer” ou “brilhar”. O sentido é mais especifico, porque se refere especialmente à vinda sobre as nuvens. È a volta pessoal de Cristo a Terra que acontecerá com uma manisfestação visível e gloriosa (II Ts 2.8; I Tm 6.14; II Tm 4.6-8). É um termo que especifica a volta de Cristo à terra de modo mais direto, poruqe diz respeito à sua manifestação pessoal ao mundo.

  1. Como ocorrerá
Obs:Existem três escolas distintas de interpretação a respeito do arrebatamento da Igreja:
- Pós tribulacionista: Interpreta que a Igreja remida por Cristo passará pela Grande Tribulação;
- Midi tribulacionista: Ensina que a Igreja entrará no período da Grande Tribulação até a sua metade;
- Pré tribulacionista: Ensina que o arrebatamento da Igreja ocorrerá antes que inicie o período da Grande tribulação. (I Ts 5.9)

1)   Primeira fase (I Ts 4.17);
                                         i.    Acontecimentos no céu
O arrebatamento é um mistério só plenamente compreendido quando ocorrer (I Co 15.51). Ele será o evento inicial de uma série, abrangendo a Igreja, Israel e as Nações em geral. NO céus ouvir-se-á o brado de Jesus, a voz do arcanjo, a trombeta de Deus, e os mortos em Cristo ressuscitarão. A seguir, os fiéis vivos na ocasião serão transformados e glorificados, e todos juntos seguirão com Jesus para o Céu (I Ts 3.13; 4.13-17; I Co 15.51,52; Mt 24.31)

                                        ii.    Acontecimentos na terra
Por ocasião do arrebatamento da Igreja, na terra dar-se-á a ressurreição dos mortos justos, e a transformação dos vivos (justos) como está escrito em I Ts 4.16-17. Este milagre é chamado na Bíblia de “redenção do corpo” (Rm 8.23). Quanto a Ressurreição dos justos, o que temos no arrebatamento da Igreja é a continuação da primeira ressurreição, iniciada por Jesus “Cristo, as primícias” ( I Co 15.23), e concluída em Ap 20.4.
2)   Segunda fase (Ap 1.17);
A segunda fase, diz respeito à manifestação física e pessoal de Jesus, acompanhado dos seus santos e anjos. Isto concerne a Israel e as demais nações do mundo, que sobreviverem naquela ocasião: “Naquele dia procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém... Todos os que restarem de todas as nações que vieram contra Jerusalém ...”  (Zc 12.9; 14.16).

  1. Quem subirá
1)   Fazendo uma análise de Mateus 25 1-13, vemos o seguinte:
                                         i.    Todas eram virgens;
                                        ii.    Todas tinham candeeiro;
                                       iii.    Todas estavam esperando o noivo;
                                       iv.    Todas adormeceram;
                                        v.    Todas ouviram o clamor;
                                       vi.    Todas acordaram;
2)   Igreja que subirá (Verdadeira);
                                         i.    Características;
1.    Virgem;
2.    Espera o noivo;
3.    Tem candeeiro;
4.    É prudente;
5.    Tem reserva;
3)   Igreja que ficará (falsa);
                                         i.    Características;
1.    Virgem
2.    Espera o noivo;
3.    Tem candeeiro;
4.    É imprudente;
5.    Não tem reserva;

Obs: O azeite é um dos símbolos do Espírito Santo na Bíblia.

  1. O agente do Arrebatamento
“E agora, sabeis o que o detém, para que ele seja revelado somente em ocasião própria. ’  ( II Ts 2.6)
Este versículo se refere a presença do Espírito Santo no mundo através da Igreja, Ele detém o aparecimento do anticristo e ficará com a Igreja até conduzi-la no Arrebatamento.
1)   Quem está conosco é o Espírito Santo;
2)   Ele habita na Igreja; (I Co 6.19)
3)   Ele nos guia em toda a Verdade; (Jo 16.13)
4)   Ele nos ensina; ( Lc12.12)
5)   Ele nos santifica;
6)   Ele nos consola; (14.16)
7)   Concede dons para a Igreja; (I Co 12)
8)   Levanta Ministros; (At 20.28)
9)   Envia missionários; (At 13.1-3)
10)Está preparando a Igreja para o Arrebatamento;
Obs: A parábola das 10 virgens é muito esclarecedora, por faltar azeite elas não puderam subir.

Conclusão:
A Vinda de Cristo é um fato, as Escrituras evidenciam isto, a Igreja está continuamente sendo alertada disso através:
  • Sinais;
  • Da Ceia do Senhor “Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes o cálice, anunciais a morte do Senhor, até que ele venha”  (I Co 11.26)
As virgens imprudentes não subiram porque não conseguiram manter uma vida de intimidade com O Espírito Santo.

Bibliografia:

Sites:

Apostila do S.T.C.F – Escatologia Bíblica
Conhecendo as doutrinas bíblicas – Myer Pearlman
Palestras em Teologia Sistemática – Henry Clarence Thissen