quarta-feira, 11 de julho de 2018

NÃO ME ENVERGONHO DA MINHA FÉ - COMPROMETIMENTO



“Porque não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego. Rm 1.16

Paz do Senhor a todos os nossos leitores, que O Senhor esteja lhes abençoando poderosamente com as postagens deste canal de evangelização e crescimento cristão. Hoje queremos falar sobre a fé, como precisamos viver o compromisso em Cristo. Espero que vocês sejam abençoados e DEIXE SEU COMENTÁRIO, desejamos ouvir vocês.

Aquilo que acreditamos determina nossas ações e suas consequências, e muitos não levam a sério essa regra, daí as muitas frustrações e atitudes hipócritas. Ter fé em Cristo não é simplesmente ir a uma igreja, nem muito menos carregar um exemplar da Bíblia Sagrada, crer em Cristo define nossas vidas.

Não imaginamos que a fé requer compromisso com tudo aquilo que O Senhor Jesus representa. Nosso Senhor Jesus não é apenas O Salvador do mundo, mas também é Senhor de tudo, e ser Senhor, significa que aqueles que se comprometem com Cristo, também devem estar comprometidos com o que O Senhor Jesus ensinou “Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou.1 Jo 2.6

Geralmente os ensinos de Cristo são TOTALMENTE opostos aos ensinos e ideologias do presente século, causando confrontos e oposições, quer sejam físicas ou ideológicas. Dentro deste contexto de confronto, manter a fé viva é um grande desafio, não queremos ser descorteses, não queremos ser “o diferente”, muito menos se opor a tantos, porém ser cristão, é como disse certa vez Tiago “Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.” Tiago 4.4

Há uma necessidade urgente nos dias atuais de uma postura mais firme daqueles que se dizem servos de Cristo. Precisamos retornar ao Evangelho dos protestantes, não podemos ser cristãos, comprometidos com Cristo e sermos politicamente corretos, no quesito ideologias mundanas. Não podemos ser cristãos e apoiar o aborto. Não podemos ser cristãos e defender a homossexualidade (Isso não quer dizer apoiar a violência contra homossexuais). Não podemos ser cristãos comprometidos com a verdade e apoiar a destruição dos valores cristãos em nossa nação, estado, cidade, rua, universidade ou escola.

Não somos MELHORES que ninguém, mas certamente somos diferentes. Se muitos querem defender tudo isso, tudo bem é um direito deles, mas o cristão não é todo mundo, ele é servo e vive a mercê de seu Senhor.

Precisamos de uma fé não moldada por ideologias quer seja de esquerda ou direita, nossa fé não tem partido nossa fé tem um Senhor. Não interessa quantos não  gostam do que cremos, nossa fé não é para ser agradável, mas precisa ser justa e agradar aquele que pagou o preço por nossa alma.

Nossa fé não nos conduz a matar meu opositor, mas certamente me obriga a amá-lo e orar por ele. A fé cristã não me orienta a ser homofóbico, injusto, mentiroso, machista ou feminista, a fé cristã me obriga a amar a todos e orar para que todos tenham a mesma chance de viver, porém essa mesma fé não me deixa ser cortes com tudo aquilo que Cristo condena.

Ser cristão é estar comprometido com tudo aquilo que o Reino de Deus significa, um Reino de Justiça, Reino de Amor, Reino de Vida e principalmente um Reino divorciado com o pecado. A exortação bíblica é clara “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. 1 João 2.15 e este mundo (sistema pecaminoso) tem seu lugar sim “Sabemos que somos de Deus, e que o mundo todo jaz sob o Maligno.”1 João 5.19

Você é um cristão? Pois ame a todos, pregue a todos, respeite a todos, ore por todos, deseje a paz com todos, mas seja luz.



quarta-feira, 4 de julho de 2018

CRENDO CONTRA A ESPERANÇA



“O qual, em esperança, creu contra a esperança, tanto que ele tornou-se pai de muitas nações, conforme o que lhe fora dito: Assim será a tua descendência.” Rm 4.18

Paz do Senhor a todos os visitantes, que O Senhor esteja abençoando suas vidas através destas postagens, pois este é o nosso desejo e oração. Nos ajudem a continuar este trabalho, DEIXEM UM COMENTÁRIO PARA O BLOG, OK?

As muitas histórias bíblicas e seus personagens são fonte de inesgotáveis ensinos para a vida cristã. Paulo como bom estudioso e escritor de 13 cartas do Novo Testamento, em muitas vezes fez uso destas histórias para apresentar ensinos profundos à igreja dos dias atuais.

Paulo escrevendo aos romanos no capitulo 4 da referida carta, usa do patriarca Abraão para desenvolver um ensino primordial sobre ESPERANÇA. No versículo em apreso vemos uma apresentação do tema que chama muito a atenção, Paulo diz que Abraão “...creu contra a esperança...” . Veja que informação valiosa e poderosa para nossas vidas.

Em nossa sociedade temos um adágio popular que diz “A esperança é a última que morre.” E eu acrescento a isso a seguinte explanação “A esperança pode até ser a última a morrer, mas até ela morre.”. Parece que Abraão vivenciou isso, o texto diz que Abraão creu contra esperança, ou seja, a esperança havia sido vencida, mesmo assim o Patriarca continuava crendo, que ensino, que poder!

Neste texto entendemos que há algo maior que a própria esperança, e ainda que ela venha a faltar,  se tivermos fé poderemos continuar crendo, até mesmo conta a Esperança.

Nestes dias de tantas dores e dificuldades, onde a desesperança bate a nossa porta todos os dias, e o desejo de desistir e frequente, precisamos continuar crendo, ainda que tudo ao redor pareça desabar, e se a esperança vier a desfalecer, a fé nos manterá de pé. O patriarca Abraão creu contra a esperança e é conhecido como o pai de muitas nações, assim precisamos fazer nós e veremos, como Abraão, o poder que supera todas as dificuldades e nos conduz a vivenciar grandes promessas, mesmo que a esperança tenha se acabado.

Paz e graça;

Pr. Marcos Gama



quinta-feira, 28 de junho de 2018

UMA FÉ VERDADEIRA



Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida. I Tm 1.5

Paz do Senhor a todos os visitantes de nosso blog, fico extremamente feliz quando recebo um comentário, ou mesmo uma mensagens relatando como O Senhor usou este post para lhe abençoar, por isso DEIXEM SEUS COMENTÁRIO AQUI, OK?

Vamos lá para nossa postagem, espero que O Senhor fale poderosamente com cada um de forma especial.

Paulo, servo de Jesus Cristo, escrevendo a seu filho na fé e pastor da cidade de Éfeso Timóteo, exorta-o para que exercite sua fé de modo que possa expressar sinceridade.

Em um período da história onde não vemos uma fé genuinamente verdadeira, essa exortação paulina é de muita valia para nossos dias.

Paulo inicia sua exortação a uma fé verdadeira ressaltando que o fim do mandamento é o amor de um coração puro, isso significa que uma fé verdadeira inicia com um coração purificado pelo mandamento maior que é o amor. Como podemos exercitar uma fé verdadeira se não amarmos conforme o mandamento? O Senhor Jesus em determinado momento de seu ministério terreno asseverou exatamente isto aos seus discípulos “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros. João 13.35

Uma fé verdadeira também é alimentada através de uma consciência limpa, longe das acusações oriundas de um mundo caído, que jaz no maligno. A consciência pura é o manancial que produz uma fé verdadeiramente sincera, ou como dizem os estudiosos sobre a palavra hipocrisia, sem cera.

Certamente o que mais embeleza a fé cristã é quando esta é vivida em sua plenitude e sinceridade, a exortação paulina para Timóteo, deve ser um remédio preventivo para nossos dias de tanta falsidade de deslealdade teológica. Paulo exortou a seu filho na fé e creio que O Senhor Espírito Santo nos exorta a mesma atitude hoje.

Na paz de Cristo Jesus;

Pr. Marcos Gama


segunda-feira, 25 de junho de 2018

BABEL, UM GRANDE PROBLEMA PARA AS IGREJAS E DEPARTAMENTOS (Última Parte)


E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala”. Gn 11.1


Paz do Senhor a todos os nossos leitores, vamos hoje concluir nossas postagens sobre o tema Babel? Creio que O Senhor tem nos abençoado com essas postagens, assim, vamos para a conclusão.

HÁ! DEIXE SEU COMENTÁRIO, ISSO É MUITO IMPORTANTE PARA NÓS.


Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!

E por isso, se o faço de boa mente, terei prêmio; mas, se de má vontade, apenas uma dispensação me é confiada. Logo, que prêmio tenho? Que, evangelizando, proponha de graça o evangelho de Cristo para não abusar do meu poder no evangelho. Porque, sendo livre para com todos, fiz-me servo de todos para ganhar ainda mais. E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei. Para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei. Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele. Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível. Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar. Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.
I Co 9.16-27

“Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa vontade; Uns, na verdade, anunciam a Cristo por contenção, não puramente, julgando acrescentar aflição às minhas prisões. Mas outros, por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda.” Fl 1.15-18

Precisamos retornar a mesma linguagem simples que um dia nos uniu a Cristo, que todos somos pecadores e que dentre os pecadores somente Cristo tem a proeminência. Assim, não brigue pelas divisões, trabalhe sua linguagem, pois às vezes só falta mudar o seu falar e as dores irão embora. Pois tudo o que sai pela boca, vem do coração, seja verdade ou mentira, e do coração saem às saídas da vida, como disse nosso amado Mestre Jesus.

Que O Espírito de Deus venha mais uma vez como em Atos 2 e nos dê línguas repartidas como de fogo, que cada um fale em uma língua diferente, mas sobre a operação de um único Espírito, promovendo uma única linguagem espiritual e que todos declarem a mesma coisa a todos os povos, “ As grandezas de Deus”.

Na paz de Cristo Jesus,

Pr. Marcos Gama


quarta-feira, 13 de junho de 2018

BABEL, UM GRANDE PROBLEMA PARA AS IGREJAS E DEPARTAMENTOS (Quarta Parte)



E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala”. Gn 11.1


Paz do Senhor a todos os nossos leitores, vamos dar continuidade ao nosso post sobre o tema Babel?

HÁ! DEIXE SEU COMENTÁRIO, ISSO É MUITO IMPORTANTE PARA NÓS.


Precisamos retornar a falar a mesma linguagem, ter os mesmos pensamentos nucleares ainda que os pensamentos periféricos nos dividam. Necessitamos de unidade em meio a um mundo em guerra com sigo mesmo. Em uma era de desconstrução a igreja não pode estar dividida, ela precisa mais do que nunca está unidade em Cristo.

Quero concluir este artigo enfatizando um pensamento que tenho sobre a doutrina do Corpo de Cristo, através de um olhar biológico. Quando estudamos a anatomia do corpo humano, vemos que ele é dividido em várias partes com órgão, tecidos e funções diferentes não é? Veja que cada órgão do corpo tem um objetivo, e cada um com seu objetivo próprio trabalha sob a orientação do cérebro para o bem do corpo, de forma individual, mas trabalhando para o coletivo.  Mas cada órgão é composto de seus próprios sistemas e tecidos, trabalhando de forma individual, dentro de seu contexto de proposito, mas isso não o torna inimigo dos outros órgãos, apenas seu objetivo é diferente.  Quando analisamos a Igreja de Cristo, vemos que há muitas denominações e parece que cada uma está trabalhando para si, como se estivessem dividindo o corpo de Cristo. Mas quando olhamos para  todo, vemos que todas trabalham para Cristo e isso é o que importa, desde que realmente esta igreja trabalhe dentro do mesmo corpo, de uma mesma linguagem, que é o amor, unidade e vida.

Na paz de Cristo Jesus

Pr. Marcos Gama



terça-feira, 5 de junho de 2018

BABEL, UM GRANDE PROBLEMA PARA AS IGREJAS E DEPARTAMENTOS (Terceira Parte)



E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala”. Gn 11.1

Paz do Senhor a todos os nossos leitores, espero que estejam gostando destas postagens sobre a Torre de Babel. Não se preocupem, não esqueci dos textos sobre Jacó, mas vamos concluir sobre este tema, ok.

HÁ! DEIXE SEU COMENTÁRIO, ISSO É MUITO IMPOSTANTE PARA NÓS.

Primeiro entendamos que satanás quer nos desfragmentar para que não possamos alcançar os objetivos do Senhor que é proclamar a Cristo em todo o mundo. E isso ele está fazendo através de vários projetos dentre eles a má compreensão do que é igreja, corpo de Cristo e liderança cristã. Isso é um projeto também de extrema esquerda, que além de desconstruir a família, os falsos teólogos estão tentando desfragmentar a igreja, colocando falsidades e mentiras no meio do povo, tirando nossa unidade e nosso poder para realizar projetos. O que os partidos humanos mais têm medo? Hoje, é do nosso poder de mídia, e como nós conseguimos isso, ou seja, com nossa unidade espiritual, humana, eclesiástica e financeira.


Mas respondendo a pergunta, como promover a unidade? Promovendo uma só linguagem, pois assim teremos uma só visão e uma só direção. As Escrituras em várias vezes nos alertam sobre o perigo da desunião afirmando em vários textos bíblicos, como este de Amós que diz “Porventura andarão dois juntos, se não estiverem de acordo?” Am 3.3. É por isso que a Igreja de Cristo tem uma cabeça e vários membros, mas todos os membros seguem a mesma cabeça, e isso através de um só Espírito. Muitos dos que pensam ao contrário dirão, mas com quem está a razão? E a resposta é com Cristo, com os alvos de Cristo, com os objetivos de Cristo. E como saberemos os objetivos de Cristo? Respondo, nas Escrituras. Alguns dirão, mas todos não interpretam as Escrituras como querem? E eu respondo que não! Há uma única interpretação nas Escrituras para o problema em debate, que é FAZER A VONTADE DAQUELE QUE ME ENVIOU. Isso é a máxima das Escrituras.

Na paz do Mestre Jesus,

Pr. Marcos Gama


quarta-feira, 30 de maio de 2018

BABEL, UM GRANDE PROBLEMA PARA AS IGREJAS E DEPARTAMENTOS (Segunda Parte)



E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala”. Gn 11.1

Paz do Senhor a todos os nossos leitores, neste post esteremos dando continuidade a temática sobre comunicação. DEIXE SEU COMENTÁRIO É IMPORTANTE PARA NÓS.



Isso mesmo que você leu, todo aquele plano maligno foi desmantelado  através da desarticulação da comunicação entre eles. Através deste ensino vemos que O Senhor sabe como desmantelar os projetos malignos aparentemente bons que o inimigo traçar contra nós, pois somente O Senhor pode revelar as facetas de satanás contra seu povo.

Porém hoje não quero comentar sobre isso, leia mais sobre o tema em nosso livreto sobre A TORRE DE BABEL. Quero expressar um pensamento que usa o contexto de forma inversa, pois satanás sabe que é assim que ele pode tentar desarticular os planos de Deus para nós, ou seja, ele promove a desunião, quando atrapalha a nossa comunicação. Isso mesmo que você leu, a desunião, que é a causa de tantas destruições e pragas no meio da igreja é promovida por agentes de satanás que semeiam no meio do povo de Deus desarticulações na comunicação, mentindo, aumentando, enganando e nunca deixando que a mensagem real chegue nos corações, assim ele promove a má compreensão, depois a má interpretação e por conseguinte a má atitude que gera por sua vez as desavenças no nosso meio. Veja o que diz Tiago em sua epistola “De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis. Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.” Tg 4:1-3. Veja que o mal entendimento dificulta até as orações pelos outros, tornando nossas orações egoístas e sem a direção de Deus para as mesmas.

O Senhor não é contra a unidade, O Senhor é contra a unidade para o mal, toda a unidade que trabalha a glória de Deus é muito bem vinda. No livro dos salmos, no salmo de número 133 diz:
Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes. Como o orvalho de Hermom, e como o que desce sobre os montes de Sião, porque ali o Senhor ordena a bênção e a vida para sempre. Salmos 133

A unidade promove benção, mas para haver a unidade é necessário que todos nós tenhamos uma mesma linguagem. Paulo diz isso em sua primeira carta à igreja de Corinto suplicando os irmãos a unidade do corpo de Cristo “Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões; antes sejais unidos em um mesmo pensamento e em um mesmo parecer.” I Co 1.10.

Perceba que na história da torre de Babel, todos tinham uma mesma linguagem e um mesmo propósito, ou seja, todos estavam no mesmo espirito de desobediência Ao Senhor, hoje vivemos o inverso, satanás quer nos desarticular, colocando espirito de divisão através das múltiplas linguagens no meio do povo. Precisamos com urgência fazer o que Paulo roga aos coríntios “Rogo-vos, porém, irmãos, pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que digais todos uma mesma coisa, e que não haja entre vós dissensões;”. Mas como fazer isso?

Na paz do Mestre,

Pr. Marcos Gama





quinta-feira, 24 de maio de 2018

BABEL, UM GRANDE PROBLEMA PARA AS IGREJAS E DEPARTAMENTOS (parte 1)


E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala”. Gn 11.1

"Como é maléfico quando coisas boas e dignas estão encobrindo maldades, o perigo é grande, pois sempre estamos suscetíveis a abraçar tudo que é bom, sem antes verificar o porquê daquela bondade." Marcos Gama

Paz e graça a todos os nossos visitantes, quero hoje dar uma parada nas postagens sobre Jacó e compartilhar um pensamentos sobre tantas divisões e dificuldades nas igrejas. Espero que gostem, o texto é longo e dividirei em três postagens, ok? Deus lhes abençoe.

A história da torre de Babel, sempre trouxe a igreja cristã muitos ensinos, e acredito que nestes tempos de crise espiritual em nossa nação e em todo o mundo, uma vez mais O Senhor usará este texto como uma antídoto contra a dificuldade que temos em nossa comunicação.

O texto de gênesis 11 do versículo 1 ao 9, é como se fosse um parêntese entre a história do diluvio e o inicio da era abraânica, ela serve como um divisor de águas na historicidade bíblica, pois em meio ao enredo O Senhor chama-nos a atenção para o cuidado que devemos ter em nossos propósitos comunicativos. Não sabemos seus atores pois o texto não os revela, todavia, o que foi revelado é o suficiente para tirarmos grandes lições gerenciais para as nossas vidas, famílias, empresas, igrejas e ministérios.

O texto inicia declarando que havia unidade na terra, uma unidade de povo, uma unidade de propósito, uma unidade de liderança e tudo por que havia uma unidade na comunicação “E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala”. Gn 11.1. Essa fato, isto é, uma única forma de comunicação possibilitava ao povo traçar seus objetivos, planejar suas ações, levantar recursos, promover metas, desenvolver estratégias, determinar prazos e o melhor com todos os envolvidos usando uma linguagem única, clara e direcionadora.

Acredito que algumas pessoas que não conheçam a história como um todo, poderão dizer, mas isso não é bom? Quantas empresas e organizações dariam tudo para ter essa estrutura organizacional, quantas prefeituras não pagariam milhões para que seus colaboradores pudessem ter essa harmonia na comunicação, como seria de grande valia para aqueles que gerenciam grandes equipes um desenvolvimento estratégico deste?

O maior problema na história, a meu ver, não é a unidade, por que digo que não é o maior problema? Por que neste momento da história a determinação divina era para “Abençoou Deus a Noé e a seus filhos e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos e ENCHEI A TERRA.” Gn 9.1, ou seja, claramente o propósito do Senhor era que os descendentes de Noé se espalhassem sobre a face da terra, que agora estava desabitada e necessitando que alguém cuidasse. Mas apesar de neste momento a unidade ser um problema, isso não era o maior de todos os problemas, pois o restante da história nos revela uma situação que realmente promove muitas destruições e é uma rebeldia direta aos planos divinos, ou seja, quando o povo disse “Disseram: Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo o topo chegue até aos céus e tornemos celebre o nosso nome, para que não sejamos espalhados por toda a terra.” Gn 11.4. Veja que a unidade estava escondendo um propósito que era fazer dos homens SERES RENOMADOS, RECONHECIDOS E SUPERESTIMADOS, e o pior, DESOBEDECER DIRETAMENTE UMA DETERMMINAÇÃO DIVINA, a qual cumpriria os propósitos de DEUS  para a humanidade. Perceba que a aparente beleza da unidade estava imbuída de rebeldia ao Senhor.

Como é maléfico quando coisas boas e dignas estão encobrindo maldades, o perigo é grande, pois sempre estamos suscetíveis a abraçar tudo que é bom, sem antes verificar o porquê daquela bondade. Glória humana, soberba da vida, imperiosidade e afronta direta aos propósitos de Deus, era isso que estava no âmago da unidade na história da torre de Babel. E como a grande maioria já sabe, O Senhor interveio na história criando uma divisão necessária para que aquele malefício fosse desmantelado. E O Deus eterno fez isso desarticulando seu poder de comunicação. Veja o que o próprio texto diz a respeito disso “e o Senhor disse: Eis que o povo é um, E TODOS TÊM A MESMA LINGUAGEM. Isto é apenas o começo; agora não haverá restrição para tudo que intentarem fazer. Vinda, desçamos e confundamos ali A LINGUAGEM, para que não entenda a LINGUAGEM do outro.” Gn 11.6,7

CONTINUA ...

Na paz de Cristo Jesus;

Pr. Marcos Gama



terça-feira, 15 de maio de 2018

EU SOU JACÓ – ESTRATÉGIAS DIVINAS



“E, todas as vezes que concebiam as ovelhas fortes, punha Jacó as varas à vista do rebanho nos canais de água, para que concebessem diante das varas. Porém quando o rebanho era fraco, não as punha; assim, as fracas eram de Labão, e as fortes, de Jacó.” Gn 30.41,42

Paz do Senhor, tudo bem? As postagens do tema estão lhe abençoando? Espero que sim. Deixem seus comentários, isso nos ajuda muito, tá bom.

Há ações de Deus que não conseguimos entender ou mesmo explicar, mas certamente vemos o agir milagroso do Senhor por nós. Marcos Gama

Passados muitos anos de sua chegada em Harã, um novo ambiente. Jacó forma família, e muitas coisas haviam acontecido em sua vida. O Senhor certamente havia lhe abençoado na terra dos parentes de sua mãe. Os anos de trabalho por suas  esposas findara, e Labão que muito havia sido abençoado, e certamente não querendo perder o trabalho abençoado de Jacó, resolve pagar ao patriarca por seu trabalho.

Labão sabia que por causa de Jacó, Deus havia lhe abençoado, e certamente não era hora de deixar Jacó parar de trabalhar, assim propõe um salário, todavia Jacó astuto e crendo que O Senhor estava com ele sugere um pagamento para sua labuta. Ovelhas malhadas e listradas, este seria o pagamento pelo trabalho de Jacó. Labão e seus filhos querendo se aproveitar de Jacó tenta enganá-lo, e segundo o texto sagrado “por dez vezes” Labão e seus filhos mudam o salário de Jacó.

O Senhor deu a Jacó uma estratégia nada convencional para abençoar o patriarca. Há ações de Deus que não conseguimos entender ou mesmo explicar, mas certamente vemos o agir milagroso do Senhor por nós. Jacó colocava as ovelhas mais fortes para cruzar, e quando isso acontecia colocava varas defronte as águas onde o cruzamento acontecia, assim, as ovelhas mais fortes saiam para Jacó prosperando suas posses.

Vemos quanto O Senhor cuida dos seus, em meios aos enganos dos homens astutos que usam de maldade para prosperar, O Senhor das nossas vidas nos abençoa. Jacó viu O Senhor lhe prosperar em meio ao engano, e isso é uma linda palavra de confiança para nós que muitas vezes estamos em meio a tantas maldades e enganos.

O Senhor tem uma estratégia para lhe abençoar, não se importe com quem deseja seu mal e tenta lhe enganar, estamos na dependência do Senhor. Aprendamos a viver em meio a uma sociedade caída, como disse O Senhor Jesus para nós “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas.” Mt10.16. Não podemos pagar a maldade sofrida com a mesma maldade, pois isso nos tornaria iguais ao mundo, nossa atitude de abençoar a quem nos amaldiçoa e pelos simples fato de sermos diferentes. O Senhor ainda tem muitas estratégias para nos abençoar.

O Senhor prospera Jacó e este é engrandecido a ponto de seus cunhados e sogro já olharem para ele de forma não amigável, certamente esse era um bom sinal de que os ventos estão soprando para outro lado e talvez é hora de mudar as velas em outra direção.

Paz e graça!








ADQUIRA NOSSO E-BOOK "Eu resolvi dizer... Sim!