quinta-feira, 24 de maio de 2018

BABEL, UM GRANDE PROBLEMA PARA AS IGREJAS E DEPARTAMENTOS (parte 1)


E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala”. Gn 11.1

"Como é maléfico quando coisas boas e dignas estão encobrindo maldades, o perigo é grande, pois sempre estamos suscetíveis a abraçar tudo que é bom, sem antes verificar o porquê daquela bondade." Marcos Gama

Paz e graça a todos os nossos visitantes, quero hoje dar uma parada nas postagens sobre Jacó e compartilhar um pensamentos sobre tantas divisões e dificuldades nas igrejas. Espero que gostem, o texto é longo e dividirei em três postagens, ok? Deus lhes abençoe.

A história da torre de Babel, sempre trouxe a igreja cristã muitos ensinos, e acredito que nestes tempos de crise espiritual em nossa nação e em todo o mundo, uma vez mais O Senhor usará este texto como uma antídoto contra a dificuldade que temos em nossa comunicação.

O texto de gênesis 11 do versículo 1 ao 9, é como se fosse um parêntese entre a história do diluvio e o inicio da era abraânica, ela serve como um divisor de águas na historicidade bíblica, pois em meio ao enredo O Senhor chama-nos a atenção para o cuidado que devemos ter em nossos propósitos comunicativos. Não sabemos seus atores pois o texto não os revela, todavia, o que foi revelado é o suficiente para tirarmos grandes lições gerenciais para as nossas vidas, famílias, empresas, igrejas e ministérios.

O texto inicia declarando que havia unidade na terra, uma unidade de povo, uma unidade de propósito, uma unidade de liderança e tudo por que havia uma unidade na comunicação “E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala”. Gn 11.1. Essa fato, isto é, uma única forma de comunicação possibilitava ao povo traçar seus objetivos, planejar suas ações, levantar recursos, promover metas, desenvolver estratégias, determinar prazos e o melhor com todos os envolvidos usando uma linguagem única, clara e direcionadora.

Acredito que algumas pessoas que não conheçam a história como um todo, poderão dizer, mas isso não é bom? Quantas empresas e organizações dariam tudo para ter essa estrutura organizacional, quantas prefeituras não pagariam milhões para que seus colaboradores pudessem ter essa harmonia na comunicação, como seria de grande valia para aqueles que gerenciam grandes equipes um desenvolvimento estratégico deste?

O maior problema na história, a meu ver, não é a unidade, por que digo que não é o maior problema? Por que neste momento da história a determinação divina era para “Abençoou Deus a Noé e a seus filhos e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos e ENCHEI A TERRA.” Gn 9.1, ou seja, claramente o propósito do Senhor era que os descendentes de Noé se espalhassem sobre a face da terra, que agora estava desabitada e necessitando que alguém cuidasse. Mas apesar de neste momento a unidade ser um problema, isso não era o maior de todos os problemas, pois o restante da história nos revela uma situação que realmente promove muitas destruições e é uma rebeldia direta aos planos divinos, ou seja, quando o povo disse “Disseram: Vinde, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo o topo chegue até aos céus e tornemos celebre o nosso nome, para que não sejamos espalhados por toda a terra.” Gn 11.4. Veja que a unidade estava escondendo um propósito que era fazer dos homens SERES RENOMADOS, RECONHECIDOS E SUPERESTIMADOS, e o pior, DESOBEDECER DIRETAMENTE UMA DETERMMINAÇÃO DIVINA, a qual cumpriria os propósitos de DEUS  para a humanidade. Perceba que a aparente beleza da unidade estava imbuída de rebeldia ao Senhor.

Como é maléfico quando coisas boas e dignas estão encobrindo maldades, o perigo é grande, pois sempre estamos suscetíveis a abraçar tudo que é bom, sem antes verificar o porquê daquela bondade. Glória humana, soberba da vida, imperiosidade e afronta direta aos propósitos de Deus, era isso que estava no âmago da unidade na história da torre de Babel. E como a grande maioria já sabe, O Senhor interveio na história criando uma divisão necessária para que aquele malefício fosse desmantelado. E O Deus eterno fez isso desarticulando seu poder de comunicação. Veja o que o próprio texto diz a respeito disso “e o Senhor disse: Eis que o povo é um, E TODOS TÊM A MESMA LINGUAGEM. Isto é apenas o começo; agora não haverá restrição para tudo que intentarem fazer. Vinda, desçamos e confundamos ali A LINGUAGEM, para que não entenda a LINGUAGEM do outro.” Gn 11.6,7

CONTINUA ...

Na paz de Cristo Jesus;

Pr. Marcos Gama



terça-feira, 15 de maio de 2018

EU SOU JACÓ – ESTRATÉGIAS DIVINAS



“E, todas as vezes que concebiam as ovelhas fortes, punha Jacó as varas à vista do rebanho nos canais de água, para que concebessem diante das varas. Porém quando o rebanho era fraco, não as punha; assim, as fracas eram de Labão, e as fortes, de Jacó.” Gn 30.41,42

Paz do Senhor, tudo bem? As postagens do tema estão lhe abençoando? Espero que sim. Deixem seus comentários, isso nos ajuda muito, tá bom.

Há ações de Deus que não conseguimos entender ou mesmo explicar, mas certamente vemos o agir milagroso do Senhor por nós. Marcos Gama

Passados muitos anos de sua chegada em Harã, um novo ambiente. Jacó forma família, e muitas coisas haviam acontecido em sua vida. O Senhor certamente havia lhe abençoado na terra dos parentes de sua mãe. Os anos de trabalho por suas  esposas findara, e Labão que muito havia sido abençoado, e certamente não querendo perder o trabalho abençoado de Jacó, resolve pagar ao patriarca por seu trabalho.

Labão sabia que por causa de Jacó, Deus havia lhe abençoado, e certamente não era hora de deixar Jacó parar de trabalhar, assim propõe um salário, todavia Jacó astuto e crendo que O Senhor estava com ele sugere um pagamento para sua labuta. Ovelhas malhadas e listradas, este seria o pagamento pelo trabalho de Jacó. Labão e seus filhos querendo se aproveitar de Jacó tenta enganá-lo, e segundo o texto sagrado “por dez vezes” Labão e seus filhos mudam o salário de Jacó.

O Senhor deu a Jacó uma estratégia nada convencional para abençoar o patriarca. Há ações de Deus que não conseguimos entender ou mesmo explicar, mas certamente vemos o agir milagroso do Senhor por nós. Jacó colocava as ovelhas mais fortes para cruzar, e quando isso acontecia colocava varas defronte as águas onde o cruzamento acontecia, assim, as ovelhas mais fortes saiam para Jacó prosperando suas posses.

Vemos quanto O Senhor cuida dos seus, em meios aos enganos dos homens astutos que usam de maldade para prosperar, O Senhor das nossas vidas nos abençoa. Jacó viu O Senhor lhe prosperar em meio ao engano, e isso é uma linda palavra de confiança para nós que muitas vezes estamos em meio a tantas maldades e enganos.

O Senhor tem uma estratégia para lhe abençoar, não se importe com quem deseja seu mal e tenta lhe enganar, estamos na dependência do Senhor. Aprendamos a viver em meio a uma sociedade caída, como disse O Senhor Jesus para nós “Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e inofensivos como as pombas.” Mt10.16. Não podemos pagar a maldade sofrida com a mesma maldade, pois isso nos tornaria iguais ao mundo, nossa atitude de abençoar a quem nos amaldiçoa e pelos simples fato de sermos diferentes. O Senhor ainda tem muitas estratégias para nos abençoar.

O Senhor prospera Jacó e este é engrandecido a ponto de seus cunhados e sogro já olharem para ele de forma não amigável, certamente esse era um bom sinal de que os ventos estão soprando para outro lado e talvez é hora de mudar as velas em outra direção.

Paz e graça!








ADQUIRA NOSSO E-BOOK "Eu resolvi dizer... Sim!




sábado, 12 de maio de 2018

EU SOU JACÓ – UMA FAMÍLIA PROFÉTICA



“Vendo Raquel que não dava filhos a Jacó, teve ciúmes de sua irmã e disse a Jacó: Dá-me filhos, senão morrerei.” Gn 30.1

Paz do Senhor a todos os nossos visitantes, que O Bondoso Deus continue lhes abençoando em Cristo. Espero que ler estas postagens sobre Jacó possa estar promovendo muitas bençãos e suas vidas. Queria pedir que vocês deixassem seus comentários para que possamos saber o que vcoês acham, ou mesmo se está sendo relevante, ok? Então vamos lá.

Não se preocupe se sua família não é a mais poderosa, rica ou estruturada, O Senhor tem seus meios para cumprir suas promessas. Marcos Gama

Os filhos de Jacó nascidos de suas duas mulheres, Lia e Raquel e de suas duas criadas Bila e Zilpa: Rubens, Simeão, Levi, Judá, Dã, Naftali, Gade, Aser, Issacar, Zebulom, José, Bejamim e Diná, deram origem as doze tribos de Israel, e veio a se tornar à base que formou a nação que também levaria seu nome, Isarel. Todavia a formação da família de Jacó, nesta composição que apresentamos foi formada com muitas dores.

Apesar de Jacó amar Raquel, ela não lhe dava filhos e Lia sua irmã sentia-se rejeitada por Jacó, devido não receber a mesma atenção que a irmã recebia. O texto bíblico diz que “Vendo O Senhor que Lia era desprezada, fê-la fecunda; ao passo que Raquel era estéril.” Gn 29.31, assim O Senhor concede a Lia quatro filhos consecutivos: Rubens, Simeão, Levi, Judá dois deles com grande conotação no povo, a tribo de Judá veio o rei Davi, da tribo de Levi os sacerdotes e sumo sacerdotes. O Senhor concedera a Lia fertilidade, e isso angustiava a Raquel que chegou a obrigar ao patriarca fazer algo “Vendo Raquel que não dava filhos a Jacó, teve ciúmes de sua irmã (Lia) e disse a Jacó: Dá-me filhos, senão morrerei.” Gn 30.1, em uma sociedade em que o valor da mulher estava ligado a sua condição de mãe, era para Raquel uma grande humilhação não os ter. Assim segundo o costume da época, Raquel oferece sua criada, Bila, para que dela Raquel lhe desse filhos a Jacó e assim vieram Dã e Nafitali. Lia vendo que não mais estava gerando filhos, usou do mesmo expediente para continuar  a competição com Raquel e deu sua criada Zilpa para que Jacó lhe desse filhos, e nasceram Gade e Aser.

Era grande a prosperidade de filhos na casa de Jacó, Lia ainda concebeu Issacar, Zebulom e Diná a única mulher da tribo de Jacó e por fim O Senhor lembrou-se de Raquel dando José e Benjamim gerando assim uma família poderosa e profética que produziriam reis e sacerdotes.

Todo este contexto mostra que em meio as nossas fraquezas e problemas O Senhor cumpre suas promessas e propósitos para conosco. Jacó fizera uma aliança com O Senhor em Betel, e neste momento vemos a mão do Todo Poderoso lhe abençoando.

Sacerdotes, reis uma nação inteira de um único povo, isso revela um Deus que está acima das intempéries humanas e que nada e ninguém pode frustrar seus planos na vida daqueles que vivem suas promessas. Neste momento da narrativa bíblica vemos O Senhor dar estrutura as promessas feitas a Abraão, Isaque e Jacó. O Senhor é Deus de alianças e essas são feitas baseadas em sua eterna misericórdia, Jacó não tinha uma família perfeita, mas Jacó tinha um Deus poderoso e isso era o suficiente para ele saber que tudo daria certo. Não se preocupe se sua família não é a mais poderosa, rica ou estruturada, O Senhor tem seus meios para cumprir suas promessas.

Na paz que excede todo o entendimento....









ADQUIRA NOSSO E-BOOK "Eu resolvi dizer... Sim!



quinta-feira, 10 de maio de 2018

EU SOU JACÓ – UM CORAÇÃO ENGANADO


“E aconteceu que pela manhã, viu que era Lia; pelo que disse a Labão: Por que me fizeste isso? Não te tenho servido por Raquel? Por que então me enganaste? Gn 29.25

Paz do Senhor a todos os nossos visitantes, tudo bem? Vocês estão gostando das mensagens sobre Jacó? Estão sendo edificados? Deixem seus comentários criticas e opiniões, isso é muito importante para mim, ok?

...Quem de enganos serve, de enganos será servido! Esse não é um bom adágio a ser acrescentado ao nosso conhecimento popular? Marcos Gama

Um novo ambiente, novos projetos, novos sentimentos e por que não dizer, antigos enganos. Jacó ao enamorar-se de Raquel aceita trabalhar por sete anos para pagar o dote da moça e era chegado o dia do pagamento por anos a fio de labuta. Jacó espera ansioso pelo dia em que terá sua amada em seus braços e este dia chegara.

Mas o que o patriarca não esperava era que seu futuro sogro, Labão, na noite de núpcias, depois de uma cerimonia simples lhe entregasse Lia, sua filha mais velha em vez de Raquel. Labão usa deste expediente alegando ser o costume local não dar a filha mais nova antes da mais velha, para continuar com o trabalho de Jacó. Labão maliciosamente articula uma estratégia de continuar sendo abençoado pelo trabalho de Jacó, que claramente O Senhor estava abençoando.

Jacó usara deste mesmo artifício com seu irmão e pai, agora chega a sua história de vida o gosto amargo do engano. Quem de enganos serve, de enganos será servido! Esse não é um bom adágio a ser acrescentado ao nosso conhecimento popular? Nossas plantações geram colheitas de acordo com as sementes plantadas e neste momento da vida de Jacó uma dolorosa colheita acabara de acontecer.

Vejamos como as exortações das Escrituras em todos os períodos bíblicos são reais, Paulo escrevendo aos Gálatas, milhares de anos depois fundamenta este pensamento dizendo “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Gl 6.7. Paulo usa uma expressão introdutória ao versículo “Não erreis...”, poderíamos usar também o “Não se enganem...”, pois geralmente acreditamos que este princípio não acontecerá conosco, porém Jacó experimentou seu próprio veneno.

Para todos nós fica uma linda e preciosa lição sobre nossas escolhas e ações, pois todas elas são sementes que a seu tempo brotarão as colheitas de nossas emoções. Porém também aprendo que O Senhor nos ajudará em todas as nossas dificuldades, pois quando um homem e uma mulher tem um encontro com O Senhor, passam a desfrutar de sua graça e até mesmo suas colheitas amargas, O Senhor vai lhes orientar como administrar.

Jacó recebe Lia como mulher e depois de uma semana Recebe Raquel sua amada, tendo agora que trabalhar por mais sete anos por Lia. Um coração que tantas vezes enganou foi enganado, na noite mais esperada por Jacó, rendeu-lhe uma manhã de frustração. O texto sagrado diz que apesar de Jacó ter conhecido Lia, seu coração era de Raquel (Gn 29.30). Lia teve muitos filhos de Jacó, Raquel teve dois, e um deles foi escolhido por Deus para dar um grande livramento ao povo de Israel. O Senhor tem seus critérios para aplicar a justiça divina.

Na paz do eterno Deus de nossas vidas,.









ADQUIRA NOSSO E-BOOK "Eu resolvi dizer... Sim!





quinta-feira, 3 de maio de 2018

EU SOU JACÓ – UM CORAÇÃO APAIXONADO



“Ora, Labão tinha duas filhas: Lia, a mais velha, e Raquel, a mais moça. Lia tinha os olhos baços, porém Raquel era formosa de porte e de semblante. Jacó amava a Raquel e disse: Sete anos te servirei por tua filha mais moça, Raquel.” Gn 29.16,17,18

Paz do Senhor a todos os nossos leitores, me desculpem a demora em publica novos textos, mas as vezes falta a inspiração necessária e sempre desejo que o texto fale primeiro comigo e depois compartilho com vocês. Então vamos para mais um postagem e por favor deixem seu comentários se gostam ou não desejo muito ter um retorno de vocês, ok?

...Jacó entendeu que em meio suas lutas e frustrações O Senhor sempre prepara presentes para seus servos. Marcos Gama

Em um novo ambiente agora, Jacó tenta dar continuidade a sua vida longe de seus familiares. Na casa de seu tio Labão, Jacó começa a trabalhar para ajudar seu parente benéfico, todavia Labão o chama e argumenta com ele a necessidade de Jacó receber um salário pelo trabalho prestado. Labão apesar de ser parente e estar abrigando a Jacó, entende que o homem é digno de receber o salário correspondente por seu trabalho.

Jacó que estava à alguns dias com seu tio, observou suas filhas e se enamorou da mais moça, Raquel. Naqueles dias havia o costume de pegar um dote ao pai das moças quando um homem queria tomar uma moça por mulher. Porém Jacó nada tinha para realizar o pagamento por Raquel e viu nesta proposta de Labão uma porta para conseguir a moça e fez uma proposta a seu tio “... Sete anos te servirei por tua filha mais moça, Raquel.”. Isso mesmo, Jacó oferece sete anos de trabalho como pagamento pelo dote de Raquel, a quem amava. Verdadeiramente vemos que não há preço ou sacrifícios para quem ama, e ele amava muito a Raquel. Em meio as suas fugas, intrigas, mentiras e males, Jacó entendeu que em meio suas lutas e frustrações O Senhor sempre prepara presentes para seus servos.

Labão aceita a proposta do sobrinho e fecha o acordo matrimonial, prometendo dar sua filha como recompensa por seu trabalho. Raquel era a maior motivação para o trabalho de Jacó, as Escrituras relatam que por amar tanto a Raquel, os sete anos de serviços passaram voando, “Assim, por amor a Raquel, serviu Jacó sete anos; e este lhe pareceram como poucos dias, pelo muito que a amava.” Gn 29.20

O que estamos dispostos a fazer por quem amamos? Muitos dizem que fazem loucuras por amor, porém o verdadeiro amor jamais nos incitará a cometer desatinos. O amor tem características próprias para nos motivar a fazer ou não fazer algo. Quando lemos I Coríntios 13, vemos que dentre as características do verdadeiro amor é a paciência, pois o amor sabe esperar e para Jacó essa espera demorou pouco apesar dos anos, pois o amor lhe motivou todos os dias.

O que motiva nossos sentimentos? Quais são as influências das nossas emoções e ações? O que vale realmente apena fazer por que amamos? Um verdadeiro amor sempre terá a resposta certa, um amor doentios fará loucuras um amor verdadeiro sempre desejará que o seu amor viva bem.

Na Paz que excede todo o entendimento....









ADQUIRA NOSSO E-BOOK "Eu resolvi dizer... Sim!

PENSE NISSO!


quinta-feira, 26 de abril de 2018

ADQUIRA NOSSO E-BOOK





ADQUIRA NOSSO E-BOOK "Eu resolvi dizer... Sim!

EU SOU JACÓ – UM NOVO AMBIENTE



“E disse-lhes Jacó: Meus irmãos, donde sois? E disseram: Somos de Harã.
E ele lhes disse: Conheceis a Labão, filho de Naor? E disseram: Conhecemos. Disse-lhes mais: Está ele bem? E disseram: Está bem, e eis aqui Raquel sua filha, que vem com as ovelhas. Gn 29.4-6


“Jacó estava com seus familiares, mas estava longe de sua família. Às vezes nossas decisões trazem dolorosas separações.” Marcos Gama

Paz do Senhor!!!! Desculpem a demora nos posts, muitas ocupações e as vezes a inspiração não vem, mas hoje retomamos nossas postagens sobre Jacó. Espero que estejam gostando e aproveita faz um comentário, compartilha e ajude a levar A Palavra de Deus, ok?

Fugido de seu irmão Esaú, longe do carinho de sua mãe e da provisão do seu pai, Jacó agora experimenta uma nova situação em sua vida, a distância de quem ama. Sua família estava em Berseba e ele em Harã, extremo oriente colhendo o que havia plantado e a espera das promessas que havia recebido em Betel.

Harã não é Berseba, depois de uma longa jornada Jacó está em outras terras, que embora seja conhecida de seus antepassados, para ele uma terra estranha, embora esteando com seus parentes, eles não eram sua família. Jacó estava com seus familiares, mas estava longe de sua família. Às vezes nossas decisões trazem dolorosas separações.

Um novo ambiente, uma nova expectativa, promessas haviam sido feitas. Jacó estava nas mãos do Senhor, o qual fizera uma aliança com ele e essa é a certeza que apesar das dores e quedas temos a esperança que algo ira acontecer.  O Senhor não nos abandona em meio as nossas guerras, apesar das colheitas, Ele permanece conosco, pois como disse Paulo “Se formos infiéis, ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo.2 Tm 2.13

Um novo ambiente pode parecer amedrontador e solitário, mas são nesses lugares que Deus mais se revela, por isso, não desamine, não desista, não jogue a toalha. Talvez você por suas decisões esteja longe da pessoa, ou pessoas que você ama, talvez longe seu pai, mãe, esposo, esposa ou mesmo filhos. Tenha calma, continue crendo, se você errou em Berseba, talvez em Harã O Senhor inicie seu levantar!

Um novo ambiente pode também ser o local ideal para uma nova tentativa, mas cuidado! Não faça nada de sua própria vontade, lembre-se, O Senhor não precisa de nossos jeitinhos para fazer cumprir suas promessas. O maior servirá o menor! O Senhor sabe como fará. Se terei minha família de volta? O Senhor sabe como fará! Aproveite o novo ambiente, ainda que não conhece e esteja inseguro, confie nas promessas que O Senhor lhe fez. Acho que algo se aproxima para você!

Paz e Graça!









ADQUIRA NOSSO E-BOOK "Eu resolvi dizer... Sim!

quarta-feira, 11 de abril de 2018

EU SOU JACÓ – UM ENCONTRO MARCANTE



“Acordando, pois, Jacó do seu sono, disse: Na verdade o Senhor está neste lugar; e eu não o sabia. E temeu, e disse: Quão terrível é este lugar! Este não é outro lugar senão a casa de Deus; e esta é a porta dos céus.” Gn 28.16,17

Paz do Senhor a todos os visitantes, e hoje mais uma postagem sobre Jacó, espero que estes textos estejam lhes abençoando. Aproveite e deixe um comentário para nós ok?

Certamente O Senhor tem seus meios para nos chamar a atenção. Marcos Gama

Apesar dos últimos acontecimentos, Isaque tem uma benção para Jacó, ao desejar que ele vá a casa de Labão irmão de Rebeca e de lá, de sua parentela, tome uma mulher para si. Isaque e Rebeca estavam desgostosas com as escolhas de Esaú no que tangia sua vida conjugal, mas Jacó estava inclinado a fazer a vontade de seus pais e assim Isaque lhe chama para lhe abençoar e desta vez sem engano, pedindo Ao Senhor que:

“E Deus Todo-Poderoso te abençoe, e te faça frutificar, e te multiplique, para que sejas uma multidão de povos; E te dê a bênção de Abraão, a ti e à tua descendência contigo, para que em herança possuas a terra de tuas peregrinações, que Deus deu a Abraão. Assim despediu Isaque a Jacó, o qual se foi a Padã-Arã, a Labão, filho de Betuel, arameu, irmão de Rebeca, mãe de Jacó e de Esaú.” Gn 28:3-5

Jacó inicia sua jornada a Padã-Arã, em sua vigem adormece em uma cidade conhecida como Luz, fazendo de uma pedra seu travesseiro. Durante seu descanso, através de um sonho, O Senhor se apresenta a Jacó, certamente O Senhor tem seus meios para nos chamar a atenção, e para Jacó uma escada cujo topo atingia o céu. Mais fantástico ainda, que anjos de Deus subiam e desciam por ela, e nos chama a atenção mais ainda é a continuação do texto que diz “Perto dele estava O Senhor e lhe disse...”,ou seja, Jacó não estava só em sua jornada.

O Senhor se apresenta a Jacó como O Deus de Abraão, seu pai, e Isaque, ou seja, não era um deus estranho, mas O Grande Senhor que havia estado com Abraão em suas peregrinações, que estava com Isaque e agora se apresenta a Jacó dando continuidade a uma história divina. O Senhor trás ao coração de Jacó a grande promessa de que “A terra que agora estás deitado, eu ta darei, a tí e à tua descendência...” Isso mesmo, O mesmo Senhor a mesma promessa, O Senhor não esquece de seus planos em nossas vidas, por mais difíceis e complicadas que elas estejas, O Eterno Rei da vida tinha tudo sobre controle.

Aquele encontro foi um divisor de águas na história de Jacó, o qual reconhece a majestade daquele momento e faz uma aliança com O Senhor pedindo sua anuência na jornada hora empreendida pelo patriarca, pois O Senhor lhe faz promessas específicas e individuais dizendo “Eis que estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores, e te farei voltar a esta terra...”, isso mesmo, Deus estava dentro do controle da vida e história de Jacó.

Realmente foi um encontro transformador e confortador, Jacó agora estava descansando em promessas feitas por Deus a ele e sabia que sua jornada seria coroada de sucesso. Jacó unge aquela pedra e nomeia aquele lugar que outrora chamava Luz para Betel, que significa “Casa de Deus” a porta dos céus! Maravilha, O Senhor sempre está conosco e quando tudo parece não ter jeito O Senhor promove encontros transformadores.

Acho que O Senhor está preparando um encontro especial com você em meio a sua jornada de vida, acredito que O Senhor tem uma palavra para você em Betel, ou seja, na casa de Deus.

Paz e Graça







ADQUIRA NOSSO E-BOOK "Eu resolvi dizer... Sim!





terça-feira, 3 de abril de 2018

EU SOU JACÓ – PRODUZINDO NOSSOS INIMIGOS



“Passou Esaú a odiar a Jacó por causa da bênção, com que seu pai o tinha abençoado; e disse consigo; Vêm próximos os dias de luto por meu pai; então matarei a Jacó, meu irmão.” Gn 27.41

Paz do Senhor a todos, espero que estejam gostando das postagens sobre a vida do patriarca Jacó. Vamos continuar estudando e aprendendo com este homem de Deus?

DEIXE UM COMENTÁRIO SE VOCÊ GOSTOU OU NÃO, CONCORDOU OU NÃO? OK?

“...nem sempre aqueles que estão perto de nós cantarão nossas vitórias.” Marcos Gama

Nossas ações geralmente produzem reações, ou sendo Escriturístico, “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará.” Gl 6.7, e com Jacó isso não sería diferente ainda que seja uma história do Antigo Testamento o princípio divino não tem prazo de validade.

Jacó havia plantado engano no seio familiar, seu pai e irmão foram ludibriados por ele e agora Esaú alimentava intenções vingativas para com seu irmão. Esaú perdera a benção patriarcal tão importante para aquela cultura. Jacó promovera a Esaú uma angustia descomunal, Esaú pagou caro por sua negligência com os bens espirituais. O engano, a perda da benção estava gerando em seu coração um desejo profundo pela morte do irmão, que só estava sendo retardado por conta do velho pai, mas com a morte dele e após o período de luto, certamente o próximo a morrer seria Jacó.

Rebeca a autora da trama, sendo informada das intenções de Esaú, seu filho, chama a Jacó e lhe avisa dos planos do mesmo, orientando a Jacó que deixe seu seio familiar e fuja para a casa dos seus familiares em Harã. Rebeca novamente usa de engano para pedir que Isaque deixe Jacó ir para casa de seus familiares, alegando que Jacó não case com as mulheres Cananeias como Esaú fez, chegando ao ponto de afirmar que não adiantaria viver se isso viesse a acontecer.

Como as Escrituras bem nos orientam “Um abismo chama outro abismo...” Sl 42.7, as coisas só vão piorando para Jacó e suas escolhas. Jacó agora terá que deixar sua terra, seus parentes e sua história de vida para tentar salvar sua vida dos frutos de suas plantações. Quando situações como essas advêm as nossas famílias tendemos a reclamar e muitas vezes até a murmurar contra O Senhor, porém como as Escrituras fielmente nos exortam “De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados. Lm 3.39

Jacó estava agora colhendo muitos frutos amargos de suas decisões, perdas e mágoas estavam sendo deixadas para trás. Como um depósito sentimental de longo e maléfico prazo, um novo e indeciso horizonte se revelava em sua frente, um inimigo feroz e perigoso se levantava produzido por ele mesmo. Certamente podemos entender que nossas bênçãos podem ser para outras derrotas, nem sempre aqueles que estão perto de nós cantarão nossas vitórias.

O pragmatismo não combina com o cristianismo, pois os fins nunca justificarão os meios, O Senhor que promete as bênçãos, é o mesmo que providencia os meios para que elas cheguem a nós. A exemplo disso, quando Davi estava sendo perseguido por Saul e por duas vezes, Saul ficou a mercê de Davi, os homens disseram a ele que O Senhor estava entregando Saul em suas mãos e Davi disse “... Nenhum dano lhe faças; porque quem estendeu a sua mão contra o ungido do Senhor, e ficou inocente? Disse mais Davi: Vive o Senhor que o Senhor o ferirá, ou o seu dia chegará em que morra, ou descerá para a batalha e perecerá. O Senhor me guarde, de que eu estenda a mão contra o ungido do Senhor; agora, porém, toma a lança que está à sua cabeceira e a bilha de água, e vamo-nos.” I Sm 26.9-11

Dentro de uma situação como essa parecia impossível termos um final condizente com o prometido pelo Senhor. Inimigos, mágoas, enganos, perdas, fugas e muitas dores emocionais e familiares fazem de Jacó uma improbabilidade espiritual, porém é bom lembrar que O Senhor é aqueles que até do caos tem domínio. Mas tenhamos cuidado com nossas ações, pois elas podem criar inimigos de onde não esperamos.

Na paz do Mestre Jesus, amém!





  


ADQUIRA NOSSO E-BOOK "Eu resolvi dizer... Sim!





quarta-feira, 28 de março de 2018

EU SOU JACÓ – CORROBORANDO COM OS RÓTULOS



“E foi ele a seu pai, e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui; quem és tu, meu filho? E Jacó disse a seu pai: Eu sou Esaú, teu primogênito; tenho feito como me disseste; levanta-te agora, assenta-te e come da minha caça, para que a tua alma me abençoe.” Gn 27.18,19

“Em nossa trajetória de vida temos muitas oportunidades, dentre elas, a de provar nosso caráter”. Marcos Gama

Paz do Senhor, e mais uma vez desculpe a demora na postagem, afazeres e afazeres, mas estou aqui novamente dando continuidade nas postagens sobre Jacó. Espero que este tema esteja lhe edificando.

Na história de vida do patriarca das doze tribos de Israel, Jacó filho de Isaque, revela um carácter paradoxal com uma vida piedosa. Não sabemos se ele mergulha neste comportamento pelo rótulo colocado em seu nascimento, pela valorização que seu pai dava a seu irmão caçador, ou pelos simples fato, de seu carácter corroborar com o que se esperava dele.

Sabemos que o desenvolver da história do patriarca, há um episódio que choca o leitor das Sagradas Escrituras de como um filho de forma tão desonesta e com ajuda de sua mãe engana seu pai, que já esteva bem velho e com dificuldades em sua visão. Quando lemos os pormenores fica ainda mais latente seu carácter desviado do que se esperava de um filho.

Isaque já avançado em dias chama seu filho Esaú e solicita que o mesmo vá fazer uma caça com o objetivo de se fazer um guisado e deste modo o velho pai impetrar a benção patriarcal ao seu estimado filho. Rebeca, esposa de Isaque, ouvindo o que dissera seu marido, se adianta a falar com Jacó para que ele e não Esaú receba essa benção. Aos conhecedores da história, sabem que Rebeca prepara a tal comida, veste Jacó com as roupas de seu irmão e cobre as partes desnudas de Jacó com pelos de caba para que assim consigam enganar a Isaque.

Quando Jacó se apresenta a seu pai com todo aquele cenário de engano, Isaque faz uma pergunta “E ele disse: Eis-me aqui; quem és tu, meu filho?...”, é aqui, apesar de toda a trama que Jacó tem uma grande oportunidade, que oportunidade, alguém pode ser perguntar, a oportunidade de revelar quem ele é. Se ele é Esaú, ou seja uma mentira, ou Jacó a verdade. Jacó tinha diante de si a grande oportunidade de decidir quem ele era ou não era. Essa mesma oportunidade diariamente se apresenta diante de cada cristão no decorrer da vida, a oportunidade de apresentarmos um carácter firme em meios às mentiras ou corroborar com o que estão esperando que todos os homens façam, ou seja,  MENTIR.

Infelizmente na história de Jacó, ele corrobora com o que as pessoas pensavam dele. Jacó engana seu pai, se intriga com seu irmão e por fim precisa sair de sua casa para não morrer. Em nossa trajetória de vida temos muitas oportunidades, dentre elas, a de provar nosso caráter, mas a decisão de que escolha faremos é individual, e suas consequências também, apesar delas respigarem naqueles que nos rodeiam.

Alguns vão dizer que isso era necessário para o cumprimento dos desígnios de Deus  na vida de Jacó, mas discordo deste pensamento. O Senhor tem seus métodos para realizar sua vontade sem ir contra seu carácter santo. Todavia, nosso Livre Arbítrio muitas vezes tenta frustrar esses planos divinos, porém só tentam, pois ninguém pode minar os planos divinos, ainda que o carácter esteja em conflito com O Senhor, Deus por sua grande misericórdia sabe que pode fazer-nos voltar para o seu caminho.

Há uma grande oportunidade diante de nossos olhos, qual será nossa escolha, corroborar com o que acham que somos, ou nos firmarmos em nossa fé e sinceridade?


ADQUIRA NOSSO E-BOOK "Eu resolvi dizer... Sim!

QUERO MEU LIVRO