terça-feira, 23 de maio de 2017

SAL INSÍPIDO

"Vós sois o o sal da terra; ora, SE O SAL VIER A SER INSÍPIDO, como lhe restaurar o sabor? Para nada mais presta senão para, lançado fora, ser pisado pelos homens." Mt 513

Paz e graça a todos os nossos visitantes, que nos dão o prazer de estarmos juntos meditando na poderosa Palavra de Deus.

Que O Senhor lhes abençoe poderosamente com mais este post sobre a nossa vida cristã. E acredito que O Senhor, nos modelará em Cristo.

O Mestre Jesus sempre surpreendeu aqueles que O ouviam, e isso ocorria, pela simplicidade de suas Palavras e pela profundidade de suas verdades. O Senhor utilizava coisas do cotidiano comum e as usava para aplicar os conceitos do Reino de Deus. Dentre estes usos, Cristo usou o SAL como objeto de ensino, porém, Ele deu um adjetivo a este sal quando afirmou que  "SE O SAL VIER A SER INSÍPIDO", ou seja, O Senhor Jesus deu um destaque ao produto em estudo, "INSÍPIDO".

O sal tem uma composição química simples, na ciência ele é conhecido como Cloreto de Sódio (NaCI). "O sal é essencial para a vida animal e é também um importante conservante de alimentos e um popular tempero..."

"Embora a maioria das pessoas esteja familiarizada com os vários usos do sal na culinária, desconhece que a substância é utilizada em várias outras aplicações, como a manufatura de papel e a produção de Sabão e Detergentes.
No norte dos Estados Unidos e na Europa são utilizadas grandes quantidades de sal para limpar as rodovias do gelo durante o inverno, pois este baixa a temperatura do ponto de fusão da água. A temperatura de fusão da água é de 0°C mas, quando o sal entra em contacto com o gelo, a fusão ocorre a uma temperatura inferior a esta.
É utilizado em larga escala na produção de hidróxido de sódio, cloro, hidrogênio e indiretamente ácido clorídrico por eletrólise de sua solução aquosa (processo cloro/álcali).
O sal também é utilizado para a produção de gás cloro e de sódio metálico, através da eletrólise ígnea. Além disso, este mineral é o de maior utilidade aplicada entre todos, sendo utilizado em mais de 16 mil formas diferentes." Fonte wikipedia

Cristo nos trás outro uso para este componente químico, o seu uso PEDAGÓGICO/ESPIRITUAL e é dentro deste viés que estaremos falando um pouco sobre a PERDA DO SABOR DO SAL.

Dentro do contexto do Sermão do Monte", em que Cristo está afincando as bases do cristianismo, relatando com exemplos e parábolas as preciosidades dos ensinos concernentes ao Reino de Deus, o sal é comparado com o discípulo de Cristo, o qual, através de sua vida, trás sabor a um mundo em decomposição. Porém, O Senhor não está falando do poder que o cristão tem em ser um componente de conversação,  Cristo está chamando a atenção, neste ensino, para a perda deste poder, quando diz "SE O SAL VIER A SER INSÍPIDO".
Mas qual o problema? Alguém pode perguntar, e o próprio texto de Mateus explica, o sal insípido "PARA NADA MAIS PRESTA", ou seja, há uma exortação de Cristo sobre a perda da influência do cristão no mundo, o perigo de não estarmos cumprindo o propósito de nossa existência quando servos de Deus.
Certamente esta exortação é bem contemporânea, haja vista que temos hoje uma igreja que não consegue conservar seus princípios em meio a uma sociedade em acelerado estado de putrefação. Nem tão pouco, ela tem barrado a deterioração social do meio que vive.
Alguns vão comentar, isso mesmo pastor, há muitas denominações que não cumprem seu papel, mas meu foco não é as "denominações" e sim a igreja como sendo cada um de nós. isso mesmo, chega de passar a responsabilidade para os outros, e nós? Nós temos sido relevantes em nosso meio social/evangélico? Temos sido notórios em nossa prática cristã, a qual serve de CONSERVANTE para este mundo? 
Não podemos nos excluir da culpa e sim, voltar a exortação, pois os homens tem pisado a igreja com seus conceitos mundanos e esta mesma igreja não tem tido a força para resistir a este mal.
Minha oração e anelo é por um avivamento, não apenas religioso e dento dos templos, mas um avivamento que inicie dentro dos templos e exploda no meio social, barrando a podridão deste mundo e preparando a igreja para a vinda do Nosso Amado Jesus.

Igreja, vós sois o SAL DA TERRA!

Paz do Senhor.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

ACIMA DAS CRISES!

"Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no Senhor; exultarei no Deus da minha salvação." Hc 3.17,18

Paz do Senhor a todos os nossos leitores e visitantes de nosso blog de crescimento espiritual. Hoje temos um tema bem atual. A CRISE. Isso mesmo, Crise. Eu sei que em momentos como estes que vivemos, onde países inteiros estão em crise, quer sejam econômicas, partidárias, institucionais, diplomáticas, morais, religiosas, éticas, bélicas e tantas outras que transformaria este post em uma lista de medo e tristeza.

Muitas vezes focamos na crise e não meditamos qual o porquê desta situação. Como não mencionar as várias crises que As Escrituras mencionam e como elas foram administradas e vencidas. Como não citar O Livro de Juízes, que retrata as crises terríveis que o povo de Israel atravessaram durante um período de aproximadamente 400 anos, quando inimigos como midianitas, filisteus, amalequitas e tantos outros que oprimiram a Israel, com alternâncias de períodos de paz e de crises.

Crises, crises e crises, essa palavra já gera mais crise, porém no fragmento do texto Bíblico do Livro de Habacuque que estamos utilizando para este post nos ensina algo que nos desperta a atenção sobre as CRISES.

Habacuque vivenciou um período de muitas crises também, e com Habacuque havia um agravante, pois quando o profeta questiona a Deus o porquê de tantas coisas ruins acontecerem em Israel e aparentemente O Senhor não tomar uma atitude, O Senhor responde que o castigo já está vindo sobre seu povo como uma ação disciplinar, para isso O Senhor estava trazendo sobre Israel os caldeus, inimigos de israel, para os disciplinar. O profeta indaga como usar alguém pior do que o povo para disciplinar o povo? A resposta é simples, Deus usa de quem quer em seus propósitos, e neste momento a vinda dos caldeus ampliaria a crises de forma extrema, porém Habacuque entende a ação de Deus e no capitulo 3 faz uma oração em forma de cântico pois sabia que os planos do Senhor, ainda que não entendamos são os melhores.

Habacuque nos ensina como deve ser nossas atitudes em meio as crises, pois ele expressa sua fé, ele diz:

Porque ainda que...

 a figueira não floresça...

nem haja fruto na vide...

ainda que decepcione o produto da oliveira...

e os campos não produzam mantimento...

ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas...

e nos currais não haja gado...

Veja que o profeta estava considerando as vias pelas quais as crises se apresentam, a expressão AINDA QUE revela que o profeta entendia a possibilidade, que as crises acontecem e que ela tem suas vias para nos assustar e nos deprimir. Porém Habacuque nos ensina algo poderoso para aqueles que estão enfrentando crises em sua vida.

Habacuque usa a expressão AINDA QUE, para reconhecer a possibilidade da existência das crises, mas ele usa uma palavra para declarar sua fé, TODAVIA. Talvez você não esteja entendendo, o que é que esta palavra diz? Ela expressa fé, pois evidencia que acima das crises tem a esperança de que O Senhor está conosco.

Quem vive em meio as crises não vê nada para se alegrar, porém Habacuque diz: 

eu me alegrarei no Senhor;

O que é que te traz alegria? O que te promove prazer, felicidade? Será que sua alegria não está condicionada a coisas que podem ser destruídas ou roubadas? será que você não está pondo sua esperança e recursos em coisas que são passageiras e isso te dá medo de perdê-las?

Habacuque tinha uma alegria, e esta não era em coisas que podem ser roubadas ou destruídas, pois em meio as crises o profeta continuava se alegrando NO SENHOR. Todos ao seu redor podem estar em guerras, mas VOCÊ TEM UMA ALEGRIA REAL, SE ALEGRE NO SENHOR.

As crises não podem roubar sua fé, as crises não podem roubar sua paz, as crises não podem roubar sua alegria, pois ela é O SENHOR!

Outra coisa que Habacuque nos ensina é:

exultarei no Deus da minha salvação.

Eu exaltarei O Senhor. Não tire o foco da tua adoração, não deixe que as pessoas, as lutas, as crises ou qualquer outra coisa impeça de EXALTAR AO SENHOR!

As crises sempre existirão, mas elas nunca serão maiores do que o poder do DEUS DA TUA SALVAÇÃO. Essa era a fé de Habacuque, esta deve ser nossa também.

Paz,


quinta-feira, 4 de maio de 2017

UM CHAMADO AO GOVERNO DE DEUS

"venha o Teu Reino; faça-se a Tua vontade, ASSIM na terra COMO no céu" Mt 6.10

Paz e graça, e mais desculpas pela demora em publicar textos reflexivos, mas realmente as inspirações não estavam vindo, mas acredito que O Senhor está me concedendo um novo momento para publicar textos que venham nos alimentar em Cristo.

Hoje quero falar um pouco sobre O GOVERNO DE DEUS, mas para entendermos como é este GOVERNO  e qual o seu chamado para nós, precisamos entender o que é um governo e quais as suas implicações.

O que é governo?
Segundo o site Wikipédia governo tem o seguinte significado: O Governo é "a organização que é a autoridade governante de uma unidade política";[1] "o poder de regrar uma sociedade política";[2] ou o aparato pelo qual o corpo governante funciona e exerce autoridade.[2] O governo é, usualmente, utilizado para designar a instância máxima de administração executiva, geralmente reconhecida como a liderança de um Estado ou uma nação.[3] Os Estados podem ter vários níveis de Governo conforme a organização política daquele país, como por exemplo os Governos locais, os regionais e nacional.
No direito administrativo contemporâneo, Governo é a expressão que define o núcleo diretivo do Estado, alterável por eleições e responsável pela gerência dos interesses estatais e pelo exercício do poder político.

Quais as formas de governo?
As formas de governo mais utilizadas no mundo atual são a monarquia e a república. Existem outras além dessas, porém pouco utilizadas ou nunca utilizadas. Na monarquia, existe uma família real liderada pelo rei ou rainha que governa o país. Até o século XVIII, na Europa predominou a monarquia utilizando o sistema absolutista, quando o monarca tem poderes ilimitados.[5] Na república, um governante assume o poder durante um período. Na inexistência de governo, denomina-se anarquismo.

...venha O Teu REINO ..."

O Governo de Deus é uma Monarquia, isto é, O Senhor é Rei absoluto de toda a criação. Um reino muito diferente do que vemos neste mundo, pois Paulo explica como ele é "Porque o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo." Rm 14.17

Este reino pertence Ao Senhor, não há outros reis para que possam disputar este reino, Ele é o único Rei de sua Monarquia  Sl 47.7; Sl 103.19. 

"...faça-se a Tua vontade..."

Todo governo tem suas fronteiras, cultura, leis e povo, No Reino de Deus as leis que regem são oriundas de sua própria vontade, estas leis normatizam a cultura, delimitam suas fronteiras e conservam seu povo em um ambiente diferenciado dos demais, porém não é um reino físico, apesar do domínio de Deus abranger a terra e o universo, é um Reino celestial, o próprio Jesus disse para Pilatos que "Respondeu Jesus: O meu reino não é deste mundo; se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui." Jo 18.36

A vontade do Senhor é expressa através das Escrituras, do Seu Filho e do Espírito Santo. Assim podemos ver em muitas vidas tocadas Pelo Senhor anúncios deste Reino, pois "E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o reino de Deus, respondeu-lhes, e disse: O reino de Deus não vem com aparência exterior." Lc 17.20, Ele é expressado dentro dos corações e este externalizam com suas ações, ou obras e estas notificam que é chegado O Reino de Deus.

"...ASSIM na terra COMO no céu ..."

O Senhor Jesus na oração do Pai Nosso solicita que O Governo de Deus seja real aqui na terra como já o é no céu. Este deveria ser nosso pedido também, pois a vontade do Nosso Rei é que experimentemos sua boa, perfeita e agradável VONTADE que é vivida dentro do seu poderoso Reino.

UM CHAMADO AO REINO DE DEUS

"E, naqueles dias, apareceu João o Batista pregando no deserto da Judéia, E dizendo: Arrependei-vos, porque é chegado o reino dos céus." Mt 3.1 e 2

Todos os homens e mulheres estão sendo convidados a serem súditos do Reino de Deus, porém esta adesão só pode ser feita a partir do abandono de sua outra cidadania, ou seja, a cidadania terrena/pecadora, para assumir a Celestial/Eterna.

Vemos isso quando Lucas escrevendo Atos dos Apóstolos disse “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam; Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do homem que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos.”  Atos 17:30,31

VINDE AO REINO DE DEUS!


segunda-feira, 10 de abril de 2017

Aviva Ó Senhor a tua obra!

“Ouvi, Senhor, a tua palavra, e temi; aviva, ó Senhor, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos faze-a conhecida; na tua ira lembra-te da misericórdia.” Hc 3.2
O que é AVIVAMENTO?

Quais as características de um VERDADEIRO AVIVAMENTO?

Qual o verdadeiro objetivo de se ter um AVIVAMENTO?

O que um AVIVAMENTO pode proporcionar?

Estou certo que o mundo, não somente o Brasil precisa de um verdadeiro e grande AVIVAMENTO. Porém, de que avivamento precisamos? Ou melhor, o que verdadeiramente É UM AVIVAMENTO?

Para um bom entendimento precisamos entender a etimologia da palavra nos dicionários seculares e posteriormente o entendimento da palavra na perspectiva bíblica.

Avivamento, segundo os dicionaristas seculares esta palavra significa s.m. Ação ou efeito de avivar ou avivar-se (tornar mais vivo). (Etm. avivar + mento)[1] e avivar v.t. Tornar mais ardente: avivar o fogo. Dar brilho: avivar uma cor. [Figurado] Tornar mais vivo, aumentar: avivar uma dor, uma saudade. Apressar: avivar os passos. Estimular.[2]

Dentro da perspectiva teológica, e tentando analisar a as línguas originais, temos no hebraico o seguinte sentido: “O verbo "avivar"[3], em suas várias formas (2), é usado mais de 250 vezes no Antigo Testamento, das quais 55 vezes estão num grau chamado piel. Um verbo nas formas do Piel expressa uma ação ativa intensiva no hebraico. Neste sentido, o avivamento é sempre indicado como uma obra ativa e intensiva de Deus. Alguns exemplos de sua ocorrência são as clássicas orações de Davi, como esta: "Porventura, não tornarás a vivificar-nos (3), para que em ti se regozije o teu povo?" (Sl 85.6) (4), e da clássica oração do profeta Habacuque: "Tenho ouvido, ó Senhor, as tuas declarações, e me sinto alarmado; aviva a tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos, e, no decurso dos anos, faze-a conhecida; na tua ira, lembra-te da misericórdia" (Hc 3.2).”

Já no Novo Testamento diz o seguinte: “Encontramos no Novo Testamento grego um conjunto de palavras que expressam o conceito básico de avivamento. São elas: 'egeíro, 'anastáso, 'anázoe e 'anakaínoo. Outras palavras gregas comparam o avivamento ao reacender de uma chama que se apaga aos poucos (cf. 'anazopyréo em 2 Tm 1.6) ou uma planta que lança novos brotos e "floresce novamente" (cf. 'anaphállo em Fp 4.10).”.

Vemos que em ambos os verbetes apresentados o sentido geral da palavra AVIVAMENTO nos trás a conotação de DESPERTAMENTO, de TRAZER A VIDA, de BROTAR.

Olhando as narrativas bíblicas em que tais palavras são usadas, vemos que este AVIVAMENTO tinha como objetivo despertar os corações adormecidos a uma vivência espiritual verdadeira, um abandono das práticas pecaminosas que lhes distanciavam de Deus, há um comprometimento com toda a Palavra de Deus, um despertamento moral e social. O verdadeiro AVIVAMENTO extrapola as paredes da religiosidade e toca profundamente na esfera social/moral do povo. Vemos isso em Atos quando os discípulos que foram tocados pelo Espírito Santo mudaram seu modus vivend individualista e passou a trabalhar o coletivo, a cuidar dos seus, a priorizar a bondade em vez da ganância (At 4.32 ao 35).

Em Atos também vemos que a espiritualidade levava os discípulos a abandonarem suas práticas ocultistas e imorais (At 19.17 ao 20) e um grande temor de Deus vinha sobre todos os que haviam sido impactados com o AVIVAMENTO.

Analisando também a história dos grande AVIVAMENTOS da Igreja, vemos as características de Atos, ou seja, que ele não se limitava aos aspectos religiosos e influenciavam as sociedades que estavam ao seu entorno, sem falar do grande desejo missionário que O Espírito Santo inflava dentro dos avivados.

Estes AVIVAMENTOS históricos trazem para nós grandes lições e é necessário estudar cada um e harmonizar suas informações com o contexto bíblico e descobriremos o significado espiritual de AVIVAMENTO.

Vejam nos links alguns grandes avivamentos históricos:


Então O QUE É AVIVAMENTO?

Não pode ser apenas o falar em línguas, pular, gritar, expressar sua adoração extravagante ou não. Não quero me deter a isso e não tenha nenhum problema com isso também, porém acredito que isso é apenas a cereja do bolo. Acredito que AVIVAMENTO vai além de nossas emoções e concepções religiosas, ele toca dentro da alma e da vida aos que ates estavam mortos, ele toca não apenas nas igrejas, mas também, em todos ao seu redor, pois os AVIVADOS, não dormem, não comem, enquanto não geram vida nas almas dos que estão mortos em pecado.

O AVIVAMENTO vem para despertar o povo que conhece Ao Senhor. Tem como objetivo de nos tirar de nossa letargia espiritual, e nos conduzir a uma nova vida prometida por Deus, não com modismos, mas com o genuíno poder que não apenas me faz saltar, mas me faz mudar tudo em mim, e nos que estão ao meu redor. Não apenas me faz ir a igreja, mas ir até Ao Santo dos Santos, onde meu culto não é morno e sem discernimento, mas um culto racional, uma entrega total e verdadeira, onde minhas orações não são apenas práticas religiosas, mas são manifestações que quem tem intimidade, onde os hinos me levam a chorar, amar, crer, viver, despertar e principalmente demonstrar santidade.

Nossos sermões deixam de ser meramente mecânicos e acadêmicos, mas cheio da voz do Todo Poderoso.

Certamente precisamos de um AVIVAMENTO. Um grande e poderoso AVIVAMENTO.






[1] https://www.dicio.com.br/avivamento/
[2] https://www.dicio.com.br/avivar/
[3] http://www.monergismo.com/textos/avivamento/avivamento_padrao.htm

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Jacó de enganador á conselheiro - Por Madalena Gama

“Então disse Jacó à sua família, e a todos os que com ele estavam: Tirai os deuses estranhos, que há no meio de vós, e purificai-vos, e mudai as vossas vestes. E levantemo-nos, e subamos a Betel; e ali farei um altar ao Deus que me respondeu no dia da minha angústia, e que foi comigo no caminho que tenho andado.” Gn 35.2-3

A transformação do caráter é algo que só Deus através do Espírito Santo pode fazer na vida de um homem.

Jacó era enganador, frio, calculista, mas ao ter encontros com Deus, não desperdiçou-os, ele ouviu a Deus, se arrependeu e deixou que Deus tomasse a direção em todas as áreas de sua vida (Trabalho, rebanhos, posses, família e parentes).

Agora, Jacó se encontra com seu coração transformado e O Senhor  muda também o seu nome, antes Jacó, enganador, agora Israel, por ordem divina, agora é príncipe de Deus (Gn 32.28).

E através, não de Jacó e sim Israel, o povo se converteu, tirando os deuses que estavam no meio de seu povo e passando adorar ao único e verdadeiro Deus, digno de toda a adoração. Este temor de Jacó contagiou a todos os povos vizinhos, sendo assim proclamado O Deus dos céus e da terra.

A mudança de Jacó é vista pelos seus quando o antigo enganador agora príncipe de Deus aconselha os seus “Então disse Jacó à sua família, e a todos os que com ele estavam: Tirai os deuses estranhos, que há no meio de vós, e purificai-vos, e mudai as vossas vestes. E levantemo-nos, e subamos a Betel; e ali farei um altar ao Deus que me respondeu no dia da minha angústia, e que foi comigo no caminho que tenho andado.” Gn 35.2-3


sábado, 28 de janeiro de 2017

Balance – Aprendendo a equilibrar todas as áreas da vida

“E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” I Ts 5.23

Vamos meditar um pouco em nossas vidas?

O mundo contemporâneo é muito corrido e cheio de compromissos, não somente os adultos, mas inclusive as crianças já nascem cheias de muitas atividades para administrar.

Este fato tem se mostrado aterrorizador para muitos, pois o excesso de atividades trouxe para o homem moderno doenças que até então aconteciam esporadicamente, dentre elas o stress.

Todavia, a realidade é que precisamos aprender a lidar com os novos aspectos de nossa sociedade e vida social, e apesar de tentarmos organizar e priorizar nossa agenda diária precisamos entender cada aspecto e como eles se encaixam em nossas vidas e objetivos.

Paulo escrevendo a igreja em Tessalônica nos dá um entendimento de como equilibrar todas as áreas de nossas vidas, dai vem a palavra inglesa BALANCE que significa equilibrar, assim hoje aprenderemos como equilibrar nossa vida.

1.      “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo;”

Se queremos que todas as áreas de nossas vidas seja equilibradas, precisaremos entender que isso nunca acontecerá por nossas próprias forças. Quando colocamos O Senhor Deus como prioridade máxima de nossas vidas, famílias, estudos, ministérios e carreiras, temos a certeza que tudo vai bem.

O mesmo Deus que nos dá a paz é o mesmo Deus que nos santifica. A santificação é quando alinhamos nossas vidas e desejos a vontade do Senhor. Entenda que o equilíbrio de sua vida depende de quando você está dentro da vontade de Deus.
Permita que O Senhor lhe santifiquem em TUDO, não deixe uma área de sua vida fora da vontade do Senhor.

2.      “...e todo o vosso espírito...”

Fala de nossa vida espiritual.

A nossa maior prioridade é nossa vida espiritual, pois dela advém todas as nossas vitórias ou derrotas. O nosso espirito parte imaterial de nossa vida é o que nos liga Ao Senhor. Ele precisa ser alimentado com tudo aquilo que nos aproxima do Senhor.

Nossa vida de oração, jejum, leitura da Palavra de Deus, consagração e adoração devem ser nossa prioridade máxima, nossa agenda de vida precisa estar subordinada a nossa vida piedosa com O Senhor.

Aprenda priorizar O Senhor e a sua comunhão com Ele e sua vida terá verdadeiramente equilíbrio.

3.      “... e alma ...”

Fala de nossa vida emocional.

A Bíblia diz que “Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, fornicação, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. Mt 15.19, ou seja, é em nossa alma, a qual é a sede de nossas emoções, que surgem os maus e bons sentimentos, os quais são como sementes que promoverão boas ou más colheitas em nossas vidas.

Veja, apesar de sermos seres espirituais e que precisamos colocar Deus em primeiros lugar, não podemos esquecer de cuidas de nossas EMMOÇÕES. Nós precisamos aproveitar os momentos da vida que valorizam nossos sentimentos familiares, conjugais e fraternos.

Precisamos aprender que viver significa desfrutar de emoções e estas demonstram que somos seres humanos, nós choramos, rimos, gritamos, sentimos saudades e prazer. Não podemos evitar nossas emoções, mas podemos deixa-las aos pés de Cristo.

Uma vida emocional equilibrada é aquela que sabe estar subordinada aos valores e princípios de Cristo, sou um homem espiritual, mas também sou um homem emocional e preciso expressar essas emoções subordinadas à graça do Espírito santo em mim.

4.      “...e corpo...”

Trata-se de nossa vida material, trabalho, estudos, carreiras, esporte etc.

Não somos somente seres emocionais/espirituais, somos seres físicos também. Precisamos comer, beber, correr, trabalhar, estudar etc, etc,etc.

Muitos devido uma interpretação falsa do que é santidade querem se abster de coisas que foram feitas para nós. Eu sei que Paulo disse “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma. I Co 6.12, ou seja, existe o que é pecado e não podemos fazer de qualquer jeito, existem as coisas que são licitas, isto é que não são pecados, porém não é conveniente fazer, porém há coisas, e muitas coisas mesmo que não são pecado e nem inconvenientes para uma vida piedosa, assim podemos desfrutar disso.

Deus nos deu uma vida para desfrutar, porem uma vida equilibrada não descartas as coisas que a vida nos oferece com prioridade e bom senso.

5.      “...sejam plenamente conservados irrepreensíveis...”

Em todas as éreas de nossas vidas quer seja espiritual, emocional ou física precisam estar em conservação moral e irrepreensível. Não podemos viver de forma que nossas existências espiritual, emocional e física sejam destruídas por nossas vidas pregressas, mas que em tudo sejamos motivos para que O Senhor seja glorificado. “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. Mt 5.16
6.     
“...para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.”

Não é atoa que devemos ter uma vida equilibrada em todas as áreas de nossas vidas. Jesus está voltando e não podemos ser pegos de surpresa com nossas desculpas de incapacidade ou de super humildade como está escrito “Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas? E então lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniqüidade. Mt 7.22-23 Mas precisamos aprender a valorizar tudo o que O Senhor nos deus e vivermos de forma equilibrada em toda a nossa maneira de viver.