segunda-feira, 18 de junho de 2012

Estudo Bíblico "OS DOIS MAIORES ERROS DOS HOMENS"



Jesus, porém, respondendo, disse-lhes: Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus. Mt 22.29
Estamos nos momentos finais da história da raça humana e esta, por sua vez, a cada dia caminha a passos largos para longe de Deus e de seu amor.
A Igreja de Cristo é a única instituição que tem o poder de apresentar o evangelho, isto é, a solução para esta humanidade perdida, porém se a Igreja não estiver ciente de sua posição como representante de Cristo, não conseguirá executar sua tarefa.
Mas hoje vemos muita confusão entre aqueles que se dizem conhecedores da verdade e esta confusão é derivada de dois grandes erros que os homens comentem e é o tema deste estudo.



  1. Não conhecer as ESCRITURAS
“E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos.” Lc 24.44
Obs: A quê Jesus estava se referindo quando disse ESCRITURAS e para quem Ele disse isso?
Nos dias de Jesus e dos Apóstolos a palavra Escritura se referia ao Pentateuco, isto é, os livros de Genesis, Êxodo, Levíticos, Números e Deuteronômio que eles chamavam de Lei (Tora), e aos Profetas (Nebhiim), isto é, os profetas anteriores que são Josué, Juízes, Samuel, Reis, os profetas posteriores que são Isaías, Jeremias, Ezequiel e os doze. Porém havia mais uma divisão chamada de Escritos (Kethubhim) que eram os livros de Jó, Eclesiastes, Salmos, Cantares e Provérbios. Ver Lc 16.29; 24.27, 44; Jo 1.45; At 26.22
Jesus prioritariamente foi enviado para “ ...veio para o que era seu...” Jo 1.11, isto é, para os Judeus ou Hebreus. Quando Jesus pregava, ele se dirigia aos Judeus  e estes conheciam muito bem a divisão que anteriormente comentamos. Até o mais simples judeu conhecia as escrituras, pois todo sábado eles iam às sinagogas para aprender em cumprimento ao que diz em Lv 10.11
A.     O crente e as escrituras
                       i.      A bíblia nos adverte que o povo se perde por falta de conhecimento – Os 4.6
                     ii.      A bíblia nos adverte contra os falsos mestres e suas falsas doutrinas – II Tm 4.3-2
                   iii.      A bíblia nos adverte contra as doutrinas de demônios e espíritos enganadores – I Tm 4.1
                    iv.      A bíblia nos adverte contra os falsos profetas e seus enganos – Mt 24.11
B.      A Palavra de Deus é:
                       i.      Fiel e digna – I Tm 1.15; 3.1
                     ii.      Santificadora – Jo 17.17; Ef 5. 26; I Tm 4.5
                   iii.      É a verdade - Jo 17.17
                    iv.      É inspirada – II Tm 3.16
                      v.      Lâmpada - Sl 119.105
                    vi.      É viva e eficaz – Hb 4.12
C.      A bíblia nos exorta a:
                       i.      Examinar as Escrituras - Jo 5.39
1.      Examinar significa olhar com mais cuidado.
                                                            ii.      Meditar nas Escrituras – Sl .2
1.      Meditar significa ponderar em oração.
                                                          iii.      Ler, Exortar e Ensinar - I Tm 4.13
                                                           iv.      Manejar bem - II Tm 2.15
1.      Significa ter habilidade no seu uso
                                                             v.      Ser praticantes – Tg 1.22
D.      O perigo de não conhecer as Escrituras
a.      Heresias (TJ’s, Adventistas, Maçonaria, Catolicismo, etc.);
b.      Distorções doutrinárias;
c.       Crescimento espiritual fragilizado; Hb 5.12-14
d.      Sujeito a todo vento de doutrina;
e.      Inconstância espiritual;
E.       A necessidade de se conhecer as Escrituras.
“Logo que anoiteceu, os irmãos enviaram Paulo e Silas para a cidade de Beréia. Quando chegaram lá, eles foram à sinagoga. As pessoas dali eram mais bem educadas do que as de Tessalônica e ouviam a mensagem com muito interesse. Todos os dias estudavam as Escrituras Sagradas para saber se o que Paulo dizia era mesmo verdade.” At 17.10-11
Em sua segunda viagem missionária Paulo chega a Beréia, que distava uns 80 Km a oeste de Tessalônica. O texto afirma que os missionários foram a sinagoga para pregar a respeito do Messias. Em Tessalônica eles foram expulsos, mas os de Beréia ouviram e foram ESTUDAR e EXAMINAR as Escrituras para ver se o que Paulo dizia tinha mesmo base bíblia nas Escrituras.
Os judeus bereanos eram prudentes, pois não negligenciaram a mensagem, mas não se entregaram logo ao fervor da novidade. Eram conhecedores das Escrituras e foram comparar a nova mensagem com seus escritos.
Será que hoje estamos preparados para defender a nossa fé de forma racional expondo as Escrituras aos questionadores da nossa Fé?
O apóstolo Pedro recomenda que nós devemos “Antes, santificai ao Senhor Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós,” I Pd 3.15

Paulo diz em Efésios 4.11-13 E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente. Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo,”


  1. Não conhecer o PODER DE DEUS
Deus enviou seu Filho ao mundo para salvar e assim, fazer para si um povo especial, santo e os comissionou a proclamar as virtudes do seu Reino.  I Pd 2.9,10; Mc 16.15; Mt 28.19-20; At 1.8
O ide é a forma de Cristo usar a Igreja para desfazer as obras das trevas Ef 6.12, isto quer dizer que nossa luta não é física, mas espiritual por este motivo Deus nos capacitou com armas espirituais, dons ministeriais (Ef 4.11) e espirituais (I Co 12). Porém estes dons e ministérios são destinados a Igreja de Cristo e não aqueles que se dizem ser Igreja.

A Igreja de Cristo tem algumas características básicas que são:
a)      Ela é santa – I Pd 1.16
b)      Ela é noiva de Cristo – Mt 25
c)      Ela é embaixadora de Cristo – II Co 5.20
d)      As portas do inferno não prevalecem contra Ela – Mt 16.18

A.     O poder de Deus é manifesto através da Igreja;
“A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus.”  I Co 2.4-5
                                      i.      A Igreja foi comissionada - Mc 16.15; Mt 28.19-20; At 1.8;
                                    ii.      A Igreja foi revestida – At 2.1-4;

B.      O poder de Deus é manifestado através dos dons;
Definição de dons – Em seu sentido geral, o termo “dom” tem mais de um emprego. Há os dons naturais, também vindos de Deus na criação, na natureza: a água, a luz, o ar, o fogo, a vida, a saúde etc. Há também os dons por Deus concedidos na esfera humana: os talentos, os dotes, as aptidões, as prendas, as virtudes, as qualidades, as vocações inatas, etc.
O dom espiritual é uma dotação ou concessão especial e sobrenatural pelo Espírito Santo, de capacidade divina sobre o crente, para serviço especial na execução dos propósitos divinos para e através da Igreja. “São como que faculdades da Pessoa divina operando no ser humano” (Horton). Dons espirituais como aqui estudados não são simplesmente dons humanos aprimorados e abençoados por Deus. (trecho do estudo sobre pneumatologia da teologia sistemática da CPAD, comentado pelo Pr. Antônio Gilberto)
                                                              i.      Dons naturais
                                                            ii.      Dons Ministeriais - Ef 4.11
1.      Apóstolos
2.      Profetas
3.      Evangelistas
4.      Pastores
5.      Mestres
                                                          iii.      Dons Espirituais - I Co 12
1.      Dons que manifestam o saber de Deus
a.      A palavra da Sabedoria;
b.      A palavra da Ciência;
c.       O dom de discernir Espíritos;
2.      Dons que manifestam o poder de Deus
a.      A fé;
b.      Os dons de curar;
c.       A operação de Maravilhas;
3.      Dons que manifestam a mensagem de Deus
a.      A profecia;
b.      A variedade de Línguas;
c.       A Interpretação de línguas;
                                                          iv.      Dons de Ministérios Práticos
1.      Ministério (Rm 12.7)
2.      Ensinar (Rm 12.7)
3.      Exortar (Rm 12.8)
4.      Repartir (Rm 12.8)
5.      Presidir (Rm 12.8)
6.      Exercitar misericórdia (Rm 12.8)
7.      Socorros (I Co 12.28)
8.      Governos (I Co 12.28)
    1. Objetivo dos dons.
                                                              i.      Aperfeiçoamento dos santos;
                                                            ii.      Capacitação para a obra missionária;
                                                          iii.      Destruir as obras do diabo;
Conclusão:
Deus tem reservado grande bênçãos para todos os homens, porém estas bênçãos se encontram contidas na bíblia sagrada a qual muitos desprezam tanto seus ensinos quanto o poder de Deus através do seu Espírito. Que Deus desperte esta geração e nos conduza a um maior conhecimento de suas maravilhosas promessas contidas na bíblia e que desfrutemos mais do poder de Deus.

Estudo bíblico ministrado para obreiros na convenção da AD Novo Israel por Marcos Gama

Um comentário: