domingo, 31 de março de 2013

O Cordeiro Pascoal




“No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” Jo 1.29

Paz e graça a todos os visitantes do blog marcosgamamv.blogspot.com, e hoje temos um assunto muito interessante a discutir, pois mais uma páscoa se aproxima e nós precisamos entender a realidade desta festa que para muitos, se tornou apenas um momento de diversão e troca de ovos de chocolate e para outros um  momento religioso.

Quando João Batista, as margens do rio Jordão vê Jesus se aproximado dele, ele enfatiza chamando Jesus de “o Cordeiro de Deus”. Mas o que João quis passar para seus discípulos ao chamar Jesus de “o Cordeiro de Deus”? E o que isso tem haver com a páscoa? E ainda, o que isso tem haver com minha vida? Vamos tentar responder estas perguntas dentro deste post.

Para entendermos o porquê de João Batista ter chamado Jesus de “o Cordeiro de Deus”, precisamos entender alguns aspectos da história de Israel, pois João falou isso para seus discípulos e estes eram judeus e a páscoa é originária deste povo.

Então, precisamos retroceder um pouco a história do povo de Israel, em um momento crucial de sua existência que foi sua estadia no Egito, em primeira mão como convidados e em segunda como escravos. Ao todo o povo de Israel passou aproximadamente 430 anos no Egito, destes, boa parte sendo explorados e usados para construir muitas das grandes construções do período. Certo é que este povo como escravo, era o povo da promessa, era o povo que Deus havia escolhido para ser seu tesouro particular e herdar a terra prometida (Canaã), porém neste momento o povo da promessa, estava agora preso no Egito e sofrendo grandes humilhações, tais como o assassinato das crianças recém-nascidas do sexo masculino, lançando-os no rio Nilo. (Êx 1.10-22), ação esta com o objetivo de fazer o controle de natalidade por medo de uma revolta.

Dentro deste contexto, a bíblia diz que “E ouviu Deus o seu gemido, e lembrou-se Deus da sua aliança com Abraão, com Isaque, e com Jacó;” (Êx 2.24), e através de Moisés Deus trás um grande livramento a Israel, este livramento veio através de 10 pragas que foram as seguintes:

1.ª PRAGA – AGUAS TRANSFORMADA EM SANGUE (ÊXODO 7.14-25)
2.ª PRAGA – A INVASÃO DE RÃS (ÊXODO 8.1-15)
3.ª PRAGA – A INVASÃO DE PIOLHOS (ÊXODO 8.16-19)
4.ª PRAGA – A INVASÃO DE MOSCAS (ÊXODO 8.20-32)
5.ª PRAGA – PESTE NOS ANIMAIS (ÊXODO 9.1-7)
6.ª PRAGA – ÚLCERAS (ÊXODO 9.8-12)
7.ª PRAGA – SARAIVA (ÊXODO 9.13-35)
8.ª PRAGA – INVASÃO DE GAFANHOTOS (ÊXODO 10.1-20).
9.ª PRAGA – TREVAS (ÊXODO 10.21-29)
10.ª PRAGA – A MORTE DOS PRIMOGÊNITOS (ÊXODO 11.1-12.36)

Antes da ocorrência desta última praga, Deus institui um ritual que os Israelitas deveriam seguir e que LIVRARIA os Judeus do anjo da morte que viria sobre a terra do Egito e ceifaria a vida de todos os primogênitos dos egípcios.  O ritual era o seguinte:

  • Os Judeus deveriam se reunir no que agora seria primeiro mês do ano (Êx 12.2);
  • Aos dez deste mês, cada família deveria tomar para sí um CORDEIRO, segundo a casa de seus pais (Êx. 12.3), porém se a família fosse pequena deveria se unir a outra (Êx 12.4);
  • O CORDEIRO ou CABRITO deverá ser:
    • Sem defeito;
    • Macho de um ano;
    • Guardado até o decimo quarto dia do mês;
    • Imolado ao crepúsculo da tarde;
    • Tomado do seu sangue e aspergir nos umbrais das casas;
  • Naquela noite os Judeus deveriam comer:
    • A carne assada no fogo;
    • Com pães asmos;
    • Ervas amargas;
  • Eles não poderiam comer:
    • Cru;
    • Ném cozido;
    • Cabeça, pernas e fressuras;
  • Não poderia ser deixada noda para o dia seguinte, caso acontecesse isso, deveriam queimar tudo no fogo.
  • Deveriam comer estando:
    • Lombos cingidos;
    • Sandálias nos pés;
    • Cajado na mão;
    • E comer apressadamente;
Dentro deste ritual o escritor sagrado termina no capitulo 12 e versículo 11 dizendo que está é a Páscoa do Senhor e acrescentou que este dia seria como memorial e estatuto perpétuo por gerações.
E esse ritual LIVRARIA os Judeus da matança de seus primogênitos e naquela noite o anjo da morte visitou todas as famílias egípcias onde havia um primogênito e o ceifou. Naquela mesma noite Faraó, rei do Egito chamou a Moisés e Arão e ordenou-os que saíssem o mais rápido possível da terra do Egito. Na saída os Judeus iam apanhando o que podiam levar e os egípcios davam tudo o que eles pediam. Esse foi o grande livramento que Deus deu ao seu povo no Egito e que seriam lembrando por gerações.
Ou seja, o sangue de um CORDEIRO havia dado o livramento do povo Judeu da escravidão egípcia, fato este que estava apontando para o que João Batista disse: “No dia seguinte João viu a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.” Jo 1.29, Mas você pode dizer, mas João falou que este CORDEIRO tira o pecado do mundo e o que isso tem haver com LIVRAMENTO? O próprio Cristo certa vez falou no evangelho de João 8.34 “Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo (ou escravo) do pecado”. Então quando João diz que Jesus é o CORDEIRO  de Deus, ele está anunciando o grande LIVRAMENTO  eterno para os Judeus, o LIVRAMENTO do julgo do pecado, ou seja, ali estava o CORDEIRO que da mesma forma que no Egito havia dado LIVRAMENTO para o povo egípcio, agora Deus havia enviado este outro CORDEIRO para que todos quando nele crer possam ser LIVRES  da maior escravidão de todas a do pecado que gera a morte eterna.

Na semana da sua crucificação, na quinta feira antes de ir para o Jardim do Getsêmane, Jesus estava com seus discípulos comendo a Páscoa, e naquela ceia de Páscoa, Jesus instituiu um novo momento para aquela festa, quando ele disse: “Porque isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados.” Mt 26.28. Assim aquele sangue que um dia tinha sido derramado pelos Judeus no Egito, agora estava sendo derramado de forma definitiva por todos. É isso que faz a grande diferença na sua vida, a Páscoa não é meramente mais um feriado, ela é o momento de lembrarmos o grande livramento que Deus nos concedeu enviando seu filho para morrer por nós.
Da mesma forma que o CORDEIRO foi morto ao crepúsculo da tarde, Jesus rendeu seu Espírito as três da tarde, no decimo quarto dia do primeiro mês.

Lembre-se, Jesus continua querendo dar LIVRAMENTO, Ele é o CORDEIRO de Deus que tira o pecado do mundo.

Paz e graça!

Nenhum comentário: