sábado, 21 de abril de 2012

“Qual a sua posição diante da crucificação de Cristo?” 6 Parte - Final


E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” Lc 23.43

Paz e graça, enfim a última postagem da série ““Qual a sua posição diante da crucificação de Cristo?” Bem, hoje encerraremos o tema.

Como já sabemos de outras postagens, o povo estava só olhando, os príncipes zombando, os soldados escarneciam, um dos ladrões foi para o inferno e o outro ladrão foi para o céu. Mas estes não são as únicas pessoas que estavam presenciando a crucificação, ainda há uma última pessoa que também estava na crucificação, Ele estava na cruz do meio, era Jesus.

Em meio o desinteresse do povo, a zombaria dos príncipes, o escarnecer dos soldados, o trágico destino do primeiro malfeitor e a salvação do segundo, Jesus Cristo agonizava por todos. Jesus não estava odiando o povo desinteressado, ele não estava com raiva da zombaria e nem daqueles que estavam escarnecendo e muito menos se alegrou com o destino do primeiro ladrão, ao contrário, Jesus estava dando a todos uma prova do amor de Deus, pois apesar do contexto de morte Jesus orou ao Pai assim: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” Lc 23.34ª, este texto está em consonância com João 3.17 que diz “Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.”
 
Enquanto a multidão olhava Jesus morrendo como criminoso, Jesus da cruz olhava para eles como O SALVADOR. Deus não odeia os pecadores, mas como está escrito em At 17.30 “Mas Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens, e em todo o lugar, que se arrependam;”

Caro leitor Jesus morreu por você e o que você fará em meio a esta cena? Qual é a sua posição diante da cruz? Muitos dizem que a salvação é Deus quem decide, mas Deus já decidiu, Ele quer que todos sejam salvos, porém é necessário tomar uma atitude, qual será a sua?
As opções são:

  1. Ficar somente olhando e deixar o tempo passar;
  2. Zombar D’ele;
  3. Escarnecer D’ele;
  4. Não se arrepender e ter um destino terrível;
  5. Se arrepender e viver eternamente;
A decisão é sua! Porém dependendo do que você responder Jesus dirá “estarás comigo no Paraíso”
Bem, você precisa responder a essa questão “Qual a sua posição diante da crucificação de Cristo?”

Na paz de Cristo Jesus!

Um comentário:

AME A PALAVRA disse...

A igreja, neste momento, precisa de homens, o tipo certo de homens, homens ousados. A igreja suspira por homens que se consideram sacrificáveis na batalha da alma, homens que não podem ser amedrontados pelas ameaças de morte, porque já morreram para as seduções deste mundo. Tais homens estarão livres das compulsões que controlam os homens mais fracos. Não serão forçados a fazer as coisas pelo constrangimento das circunstâncias; sua única compulsão virá do íntimo e do alto. Esse tipo de liberdade é necessária, se queremos ter novamente, em nossos púlpitos, pregadores cheios de poder. Esses homens livres servirão a Deus e à humanidade através de motivações elevadas demais, para serem compreendidas pelo grande número de religiosos que hoje entram e saem do santuário. Esses homens jamais tomarão decisões motivadas pelo medo, não seguirão nenhum caminho impulsionados pelo desejo de agradar, não ministrarão por causa de condições financeiras, jamais realizarão qualquer ato religioso por simples costume; nem permitirão a si mesmos serem influenciados pelo amor à publicidade ou pelo desejo por boa reputação.
O homem livre, que aprendeu a ouvir a voz de Deus e ousou obedecê-la, sentiu o mesmo fardo moral que partiu os corações dos profetas do Antigo Testamento, esmagou a alma de nosso Senhor Jesus Cristo e arrancou abundantes lágrimas dos apóstolos. O homem livre jamais foi um tirano religioso, nem procurou exercer senhorio sobre a herança pertencente a Deus. O medo e a falta de segurança pessoal têm levado os homens a esmagarem os seus semelhantes debaixo de seus pés. Esse tipo de homem tinha algum interesse a proteger, alguma posição a assegurar; portanto, exigiu submissão de seus seguidores como garantia de sua própria segurança. Mas o homem livre, jamais; ele nada tem a proteger, nenhuma ambição a perseguir, nenhum inimigo a temer.
Por esse motivo, o homem de Deus é alguém completamente descuidado a respeito de seu prestígio entre os homens. Se o seguirem, muito bem; caso não o sigam, ele nada perde que seja querido ao seu coração; mas, quer ele seja aceito, quer seja rejeitado, continuará amando seu povo com sincera devoção. E somente a morte pode silenciar sua terna intercessão por eles.
Sim, se o cristianismo tem de permanecer vivo, precisa novamente de homens, o tipo certo de homens. Deverá repudiar os fracotes que não ousam falar o que precisa ser externado; precisa buscar, em oração e muita humildade, o surgimento de homens feitos da mesma qualidade dos profetas e dos antigos mártires. Deus ouvirá os clamores de seu povo, assim como Ele ouviu os clamores de Israel no Egito.
Haverá de enviar libertação, ao enviar libertadores. É assim que Ele age entre os homens. E, quando vierem os libertadores... serão homens de Deus, homens de coragem. Terão Deus ao seu lado, porque serão cuidadosos em permanecer ao lado dEle; serão cooperadores com Cristo e instrumentos nas mãos do Espírito Santo...
Que Deus te conserve sempre Marcos Gama, nesta envergadura espiritual de Homem de Deus !